31 agosto 2005

E a cumprir o código

Hoje à beira da estrada: um Opel com os piscas ligado e o dono, de colete vestido, a urinar.

Do passado, sempre os locais

É fácil transportar-me para a infância e recordar-me dos recantos das casas das minhas avós, onde passei tantos dias, tantos sábados, tantas noites. Da Maria dos Anjos e de Santos-o-Velho, os mosaicos da cozinha, quase iguais a estes, mas em vermelho escuro e cru. E o Sol, a entrar ao final do dia, no jardim das traseiras cheio de silêncio.

:)

Fico feliz quando vejo que um amigo é feliz, especialmente se ele esperou muito tempo por essa felicidade.

30 agosto 2005

Blogues que leio e gosto (4)

Três pastelinhos.
O pastel de nata foi meu colega na Escola e tira fotografias muito, muito boas.

Era um percentil 110, por favor.

Peso: 12,900Kg
Altura: 86 cm

29 agosto 2005

Detesto Nicks compridos

Mãe da Maria e tia do Rúben,Joana e Tomás!. Assim me apresento no MSN. Valores mais altos se levantaram.

*



28 agosto 2005

Já não sou a única a dizer disparates



Pais & Filhos, Agosto de 2005, Manuel Jorge Marmelo

Antonio Carlos Jobim - Vinícius de Moraes

eu sei que vou te amar
por toda a minha vida eu vou te amar
e cada despedida eu vou te amar
desesperadamente eu sei que vou te amar

e cada verso meu será
pra te dizer que eu sei que vou te amar
por toda a minha vi- da
eu sei que vou chorar
a cada ausencia tua eu vou chorar
mas cada volta tua há de apagar
o que essa tua ausencia tua me causou
eu sei que vou sofrer
a eterna desventura de viver
a espera de viver ao lado teu
por toda a minha vida

Há um ano

este post.

1333

A barra lá em cima, que não mente, diz que tens 1 ano, 3 meses, 3 semanas e 3 dias. Tanto?

Música que aprendemos no Acampamento Familiar

Que as palavras dos meus lábios
E o meditar do coração
Agradem a Ti,
Agradem a Ti, ó Senhor.

Minha Rocha e Redentor
A razão do meu cantar
Agradável aos Teus olhos quero ser.
Cada dia, a cada instante
Sempre hei-de te servir
Agradável aos Teus olhos quero ser
Ó Senhor.


27 agosto 2005

(Comam os croquetes por nós)

Há um ano atrás regressávamos um dia mais cedo das férias para partilhar de um momento muito especial. Hoje, falha-nos este.

Enclausurados em casa entre Augmentins, Benurons e Brufens (nós que não dispensamos comemorações...snif!) enviamos um abraço de parabéns à Guida pelas vinte e oito primaveras e uma festinha na testa à Alice pelos fantásticos pais que tem.

De Oeiras para o Texas



O meu primeiro postal.


26 agosto 2005

Sei que quando céu está assim



reclama um tapete de relva verdinho.

25 agosto 2005

"O corpo é um bicho estranho cheio de manias"

e inventou a febre para dar sinal de alerta.

Amanheceu

e conduzi o carro até Lisboa. À vinda, Sérgio Godinho:

Cansados vão os corpos para casa
dos ritmos imitados de outra dança
a noite finge ser
ainda uma criança
de olhos na lua
com a sua
cegueira da razão e do desejo

A noite é cega e as sombras de Lisboa
são da cidade branca a escura face
Lisboa é mãe solteira
amou como se fosse
a mais indefesa
princesa
que as trevas algum dia coroaram

Não sei se dura sempre esse teu beijo
ou apenas o que resta desta noite
o vento enfim parou
já mal o vejo
por sobre o Tejo
e já tudo pode ser tudo aquilo que parece
na Lisboa que amanhece

O Tejo que reflecte o dia à solta
à noite é prisioneiro dos olhares
ao cais dos miradouros
vão chegando dos bares
os navegantes
amantes
das teias que o amor e o fumo tecem

E o Necas que julgou que era cantora
que as dádivas da noite são eternas
mal chega a madrugada
tem que rapar as pernas
para que o dia não traia
Dietrichs que não foram nem Marlenes

Não sei se dura sempre esse teu beijo
ou apenas o que resta desta noite
o vento enfim parou
já mal o vejo
por sobre o Tejo
e já tudo pode ser tudo aquilo que parece
na Lisboa que amanhece

Em sonhos, é sabido, não se morre
aliás essa é a única vantagem
de, após o vão trabalho
o povo ir de viagem
ao sono fundo
fecundo
em glórias e terrores e venturas

E ai de quem acorda estremunhado
espreitando pela fresta a ver se é dia
a esse as ansiedades
ditam sentenças friamente ao ouvido
ruído
que a noite, a seu costume, transfigura

Não sei se dura sempre esse teu beijo
ou apenas o que resta desta noite
o vento enfim parou
já mal o vejo
por sobre o Tejo
e já tudo pode ser tudo aquilo que parece
na Lisboa que amanhece


Aprendemos, pois.

Estávamos no Jardim de Gouveia, ao entardecer de uma tarde cinzenta. A chegada dos ciclistas da volta a Portugal tinha acontecido há alguns minutos e a Maria brincava no cavalinho. Junto a nós, uma senhora magra com o filho de sete anos.

O pai da Maria apercebe-se que não tem a carteira e o telemóvel e sai à procura. Sinto-me observada. A senhora, sentada no banco do jardim, sorri para a Maria e diz: "É uma menina, não é?" Respondo que sim. "Se a minha filha fosse viva, teria hoje dez dias. Perdi-a com quase seis meses de gravidez. Parto normal e a bebé nasceu morta."

Digo que lamento e baixo a cabeça. Começa a chover. Abrigo-me debaixo de uma árvore. Minutos depois, com o silêncio, chega o pai da Maria. O telemóvel e a carteira estavam no capô do carro há mais de uma hora, intocáveis.

Todos os dias

são novas oportunidades para aprender.

Brincos

Estes aqui são meus. Fico, assim modestamente, giríssima.

24 agosto 2005

Há um ano

era um bebé assim. Sempre foi linda, desde o dia em que nasceu.

No emprego

enervam-me os post-its.

TVI, 22h, Novela "Ninguém como tu" - ontem

Guida (Sofia Aparício): "Ó Luisa, você não vai ser capaz de colocar a sua própria filha na rua!"

Luisa (Alexandra Lencastre): "Se D. Afonso Henriques foi capaz de bater na mãe, por que razão eu não seria capaz de mandar embora a Isabel?"

(diálogos como este tornaram uma semana no Algarve inesquecível para três casais)

Imperdível

O meu padrinho de casamento, que tinha os melhores desenhos da blogosfera aqui, agora mudou-se para aqui.

23 agosto 2005

?

P: Qual é sítio qual é ele que tem trânsito em pleno Agosto?
R: É o Cacém.

T2 novo.

Casa nova por 73000€? Parece-me bem. Tenho de ir viver para Cabo Verde e ainda levo a carteira recheada de notinhas.

Aviso

Às pessoas que disse que era bom voltar na última semana de Agosto, porque há pouco trabalho e se regressa com calma ao ritmo do dia-a-dia, esqueçam. Este Agosto está muito diferente dos outros anos.

22 agosto 2005

O fogo

Fui de férias e a Pampilhosa da Serra estava a arder. Regressei de férias e continua. Todos os anos arde. Restará alguma coisa para o ano?

21 agosto 2005

Aprendi (ou confirmei) nas férias (3)

que há coisas que nunca mudam. Uma delas é a sensação de estar num Acampamento no Verão.

Aprendi (ou confirmei) nas férias (2)

que na presença de três meninas de 15 meses (com diferenças de dias) achamos personalidades distintas, corpos distintos, desenvolvimentos distintos.

Aprendi (ou confirmei) nas férias (1)

A certeza da amizade é o melhor conforto em qualquer hora da vida.

A vida

A parte boa de ir de ir de férias: a quebra na rotina.
A parte boa de voltar: a rotina.

Voltei

de férias.

14 agosto 2005

As férias continuam

é só mais uma semaninha, faxavôr.

12 agosto 2005

Sobrinho Tomás e as emoções

Sempre que um bebé nasce e o visitamos, é inevitável recordar a noite em que a nossa bebé nasceu, de como se parecia e como nos sentíamos. Hoje também foi assim, com ligações familiares a atrapalhar emoções, a nossa bebé deixa de o parecer na presença de um recém-nascido. Não só pelo seu tamanho mas pela capacidade que tem já de se exprimir, ao exigir o colo da tia mal chegou e na forma como reage.

Foi há 15 meses atrás ( estes feitos no meio do pinhal ) que nasceu. Parece já tudo muito distante, mas tão presente. Porque este quarto também foi o nosso, pai da Alice, hoje não estamos de lágrima ao canto do olho, mas a escorrer pela face. Nestas alturas, é bom chorar.

Interrupção nas férias

para conhecer o meu terceiro sobrinho. Terceiro, mas não menos importante. Afinal, é filho da minha única irmã. Um momento muito especial. Para a minha irmã Raquel, "devolvo" este poema que me ofereceu há 15 meses atrás, juntamente com o mesmo afecto.