31 outubro 2005

Afectos.

Se há coisa que eu gosto é que ela goste da família. Dos tios, das tias, dos primos, das avós e dos avôs. Crianças que só querem o colo da mãe é de suspeitar. Enche-me o coração vê-la exigir com ar de vítima o colo alheio. E consolar-se quando lho dão.

29 outubro 2005

Delacroix



Study for "The Death of Sardanapalus"
1827-28 (77 Kb); Pastel with chalk over wash on paper; Art Institute of Chicago

28 outubro 2005

A ingenuidade das crianças.

Apesar de lhe tirar os brinquedos que com esforço consegue alcançar, o primo Rúben, ao invés de temer a chegada intempestiva da prima, dá gritinhos de excitação e ri-se para ela.

Adormecer descansado, como sempre.

Geralmente sou a primeira a sair de casa e a Maria só bebe o leite quando acorda. Quase nunca é forçada. Hoje não foi assim. O papá tinha de sair bem cedo e eu vesti-lhe um robe e um gorro e fui levá-los ao carro, de Minnie na mão e biberão no outro.

De regresso, ao fim do dia, uma ida ao Ikea, as duas. O papá chega tarde. Apaixonou-se por um cão de peluche, o mais feioso da loja, mas fofo e a quem cobriu de beijos. A cena na caixa foi de gritos, com a Maria enraivada com a funcionária por lhe tirar o boneco da mão.

Chegar a casa e muito sono. Na cama, nada de Minnie. O desconsolo era visível, enquanto circulava pelas divisões da casa à sua procura. Deve ter ficado no carro. Em desespero, chamo o cão. E agarra-se a ele. Feioso e tudo, foi a minha (nossa) salvação.

Quase minha ( se não fôsse o preço...)

Esta casa tem a minha cara. Sem tirar nem pôr. Os azulejos na sala, só se aceitam, quando são antigos como estes. O chão é aquele que sempre gostei e tem janelões numa zona de sonho.

Minuciosa, observadora

Para além do incómodo de se cruzar com uma pessoa e de seguida, examinar o que traz calçado e que me obriga a explicar que a bebé tem um fascínio por pés, tem pequenos gestos que não percebemos bem de onde vêm, porque ninguém lhe ensinou.

Há tempos, apercebia-se que eu guardava na mão o cheerio que me tinha acabado de colocar na boca. Franzindo o sobrolho, abriu a minha palma e colocou-o onde deveria ter ficado: na minha boca, a mastigar.

Noutra altura, o meu pai apercebe-se que os medicamentos naturais que estão sempre na sua mesa de cabeceira e que tinha levado temporariamente para a cozinha, tinham sido levados de volta para o local habitual, pelas mãos da menininha.

Ontem, empurrando o carrinho de compras em pleno Carrefour, tento equilibrar a palma da minha mão com Cheerios, enquanto a bebé sentada os come e eu procuro o que preciso nas prateleiras. Numa curva, caem vários para o chão. Inclina-se e esperneia, chateada, fazendo-me sentir uma desajeitada.

Já em casa, coloco o estendal de chão no seu quarto. Cheio das camisolas de lã que não chegaram a secar totalmente por causa da chuva. Entra na divisão e empurra-o, em protesto. Não conseguindo, explica-me em romeno, de braços no ar, que não quer aquele objecto ali.

Está a crescer.

Não tenho empregada























mas tenho uma ajudante que é de meter inveja a qualquer um.

27 outubro 2005

24 outubro 2005

Sopa preferida da bebé da casa

Batata
Cenoura
Abóbora
Cebola
Nabo
tudo passado,
Folhas de espinafre inteiras
e ovo cozido aos pedaços;
Sal e azeite q.b.

Menina bebé (2)

De recordar também as figuras que geralmente os meninos mais velhos de um grupo fazem a querer chamar a atenção. Com a Maria também será assim e teremos de saber lidar com isso. Ontem, a Alice, no auge dos seus oito meses, pegou numa peça de madeira e colocou-a na boca. Minutos depois, a Maria imitava-a.

Menina bebé

Alternava entre as festinhas e risinhos de excitação pela presença da pequena Alice na carpete da sala e as investidas para a demover de mexer nos seus brinquedos. Ainda não lhe tinha sido conhecida esta faceta que tantas outras mães com filhos da mesma idade se queixam. Os próximos meses, com três primos a quererem sair dos colos e descobrir o mundo, não vão ser fáceis.

Músicas que cantamos todos juntos

Vem com Josué lutar em Jericó, Jericó, Jericó.
Vem com Josué lutar em Jericó e as muralhas ruirão.
Subo aos montes devagar, que o Senhor vai guerrear.
Cerquem os muros para mim, pois Jericó chegou ao fim.
Hei! Hei! Hei!

Vem com Josué lutar em Jericó, Jericó, Jericó.
Vem com Josué lutar em Jericó e as muralhas ruirão.
As trombetas soarão, abalando Céu e chão.
Cerquem os muros para mim, pois Jericó chegou ao fim.
Hei! Hei! Hei!

Vem com Josué lutar em Jericó, Jericó, Jericó.
Vem com Josué lutar em Jericó e as muralhas ruirão.
E as muralhas ruirão! Hei!

"Músicas que cantamos todos juntos"

Deixa de fazer sentido a rúbrica "Músicas que cantamos para ti e pareces gostar" porque de há uns tempos para cá que a Maria canta connosco, dança e faz os gestos.

23 outubro 2005

Final de tarde perfeito

Três fatias deste bolo. Se faltava algum ingrediente, não dei por nada.

21 outubro 2005

Imperdoável

Dezasseis meses e meio e nunca andou de comboio, nem de eléctrico, nem de autocarro, nem de avião, nem de barco. Pura negligência.

Salmos 46

"Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações.
Portanto, não temeremos ainda que a terra se transtorne e os montes se abalem para o seio dos mares; ainda que as águas tumultuem e espumejem e na sua fúria os montes se estremeçam.

Há um rio, cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo.
Deus está no meio dela, jamais será abalada;Deus a ajudará desde antemanhã. Bramam nações, reinos se abalam; Ele faz ouvir a Sua voz,e a terra se dissolve.
O Senhor dos Exércitos está connosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

Vinde, contemplai as obras do Senhor, que assolações efectuou na terra.
Ele põe termo à guerra até aos confins do Mundo, quebra o arco e despedaça a lança; queima os carros no fogo.

Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra.

O Senhor dos Exércitos está connosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio."

Lições

Fala romeno, chinês e japonês. Imperceptível. Pontualmente, uma expressão portuguesa que nos deixa confusos. Desta forma, acabou de almoçar e, com ar convicto, apontou para o bacio e falou em dialecto. Só se calou quando se sentou no dito e o usou, como já aprendeu.

:)



20 outubro 2005

(*)

Neste momento, os colos preferidos são os que têm bebés ao colo.

Há um ano


íamos pela primeira vez às urgências. Ficávamos no Hospital. As pernas tremiam-me enquanto segurava na bebé que mamava, com apenas cinco meses. Um ano depois, já tudo nos é familiar, a segurança é outra e conhecemos uma boa parte dos médicos e pessoal. Crescemos. Confiamos cada vez mais em Deus.

19 outubro 2005

Criançada

Na classe de Escola Bíblica Dominical, a Maria é ainda a única criança sem capacidade de concentração para ficar sossegada a ouvir a história e fazer as actividades dos cadernos. No domingo passado, andava com um lápis de cera na mão e tentava alcançar as folhas das outras meninas. Riscou a folha da Joana, de 8 anos, que não gostou e disse:
"Maria, má!"
A Vitória, de 3 anos, abriu os olhos espantada e disse:
"A Maria não é má. Ela é linda! Podes pintar no meu desenho, Maria!"

E eu assistia.

18 outubro 2005

17 outubro 2005



Tarde de domingo


este filme, castanhas assadas, castanhas cozidas, família e manta nos pés. Perfeito.

Para o meu marido

Falando De Amor
Tom Jobim

Se eu pudesse por um dia esse amor essa agonia
Eu te juro te daria se eu pudesse esse amor todo dia
Chega perto vem sem medo chega mais meu coração
Vem ouvindo este segredo escondido num choro-canção
Se soubesses como eu gosto do teu cheiro teu jeito
De flor não negavas um beijinho a quem anda perdido de amor
Chora flauta chora pinho choro eu teu cantor chora manso
Bem baixinho nesse chora falando de amor
Quando passas tão bonita nessa rua banhada de sol
Minha alma segue aflita e eu esqueço até do futebol
Vem depressa vem sem medo foi pra ti meu coração
Que eu guardei este segredo escondido num choro canção
Lá no fundo do meu coração.

Flores de amizade



14 outubro 2005

Desconfio seriamente de homens que se pesam com regularidade.

Todos os dias me parece diferente



Fraca em palavras

Prefiro sempre pensar que quem não diz nada em momentos duros é porque não sabe o que dizer. Foram várias as vezes em que nada mais me ocorreu do que o silêncio.

Dúvida

Porque é que só se porta mal, ou testa a nossa paciência, quando temos visitas em casa?

Chegou mesmo o Outono (2)

A chaleira reside no fogão.

Chegou mesmo o Outono

a manta da Heidi está no sofá.

13 outubro 2005

O pai da Maria escreve melhor que os outros todos (e nós temos muito orgulho)

Pai à deriva
Ter filhos é descer um degrau na escada da qualidade de vida. Talvez por isso as pessoas hoje, que são mais felizes que antigamente, têm menos filhos. Estreei-me nestas lides há pouco tempo e já deu para aprender a lição. Calhou-me uma criança com problemas nos rins. Averiguei se dava para trocar. Nem por isso.
O último palavrão que aprendi é pieolonefrite aguda. Três dias no hospital e o ser humano sai a falar estrangeiro. Quando regressei a casa com uma mãe sonâmbulizada e uma filha já sem febre apercebi-me que o lar é doce desde que haja antibióticos por perto. É bom ser pai com uma receita aviada.
Por que será que a Bíblia nos fala de Deus enquanto Pai? Terá também Ele visto a qualidade de vida ser-Lhe reduzida ao decidir criar o Homem? Provavelmente. Tanto é assim que sabemos dos trabalhos em que Se tem metido para tratar das doenças dos Seus filhos. Desde a simples enxaqueca ao cancro do pulmão tudo serve para Deus Se afligir. E mais. Não só Se preocupa com as maleitas físicas. Igualmente O apoquentam as enfermidades do espírito. Não há farmácia que sirva a Deus todos os remédios que precisa para ver os Seus pequenos saudáveis.
Quando na sala de espera das urgências recordo como era a vida antes da criança existir. Um mar tranquilo. Agora que me especializei no consumo hospitalar sinto-me pescador em noite de tempestade no Atlântico. A terra firme parece pouco à vista. Resta aproveitar o embalo das ondas e saber que o maior consolo para um navegante à deriva é rezar o “Pai Nosso”. A paternidade faz-nos orar com mais afinco. Fico mais longe do homem que fui mas mais perto de Deus. Não está nada mau.

Tiago de Oliveira Cavaco


12 outubro 2005

Constatação

A minha mãe é insubstituível. E o meu pai também começa a ser.

Ponto fraco: Minnie

Eram quase 22h, o papá tinha acabado de sair. Estávamos na cama e o silêncio instalou-se quando a médica entrou. Queria que fôsse feito naquele momento um raio-x (abaixo). Vesti-lhe um casaco, à pressa e calcei as chinelas. À saída, a auxiliar que nos acompanhava: "Não seria melhor ela levar a Minnie?"
"Sim, sim, tem razão.Obrigada!"

Com isto tudo,

não votei e o Isaltino Morais ganhou Oeiras.

Por um acaso


descobrimos os dentes que ainda não nasceram.

De regresso a casa.

O sofrimento explicado às criancinhas.



07 outubro 2005

Blogues que leio e gosto (6)

A vida dos meus dias.
Gosto da Ana e da forma como vê o Mundo.

Reencontros ao acaso

Oiço "Escobar!" e não preciso virar a cabeça para saber de quem se trata e não vejo há, pelo menos, dez anos.

06 outubro 2005

Fretes

Para encerrar este dia que começou torto, mais uma visitinha ao meu apartamento. E mais uma correria à saída do emprego para verificar se a tralha está toda no sítio e se não ficaram, algures, Cheerios no chão. Ah! E retirar as cuecas, os soutiens e os boxers da varanda. Não quero mais olhares indiscretos à nossa roupa interior.

.

Dormi muito mal esta noite. Quando queria adormecer, tinha calor. Depois, acordava com frio. Mais tarde, crise de tosse até ficar com falta de ar. A ajudar, um qualquer mau estar da Maria. Felizmente momentâneo. Quando finalmente adormeci, sonhei que o meu pai tinha caído e eu não o conseguia ajudar. Na hora em que o INEM chegou, no malfadado pesadelo e eu ia suspirar de alívio, eram 7.05 e o alarme tocou. No caminho, os cartazes das autárquicas. Um dia de trabalho depois de um feriado pode ser muito complicado.

04 outubro 2005

Eclipse







Perdi. Nada a fazer.

No emprego

Não tranco as gavetas, a secretária permanece arrumada mesmo com muita coisa, não faço telefonemas particulares por sistema, empresto coisas com facilidade, não me chateia que usem o meu computador quando não estou, toda a gente sabe que se pode servir das minhas bolachas. Vantagens de ter tido quatro irmãos.

You Are Fall Flowers

Beautiful yet often forgotten.


03 outubro 2005

Para a Ana

"Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás.

Reparte com sete, e ainda até com oito, porque não sabes que mal haverá sobre a terra.

Estando as nuvens cheias, derramam a chuva sobre a terra, e caindo a árvore para o sul, ou para o norte, no lugar em que a árvore cair ali ficará.

Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará.

Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim também não sabes as obras de Deus, que faz todas as coisas.

Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas.

Certamente suave é a luz, e agradável é aos olhos ver o Sol".

Eclesiastes 11:1-7

Recuso-me

a votar num candidato que é arguido num processo de corrupção. Mesmo sabendo que fez um excelente trabalho.

O seu bebé já tem dezassete meses

(informa-me, por e-mail, a Dodot)

Já tem quantos meses?