31 agosto 2006

Conversa de gabinete

Diz-se mal das sogras.

Porque A minha sogra liga três vezes por dia ao filho; A minha sogra interrompe-nos quando vamos ao cinema; A minha sogra critica os meus cozinhados; A minha sogra aparece lá em casa sem dizer nada.

(Silêncio. Olhares na minha direcção)

Então e a tua sogra não te chateia?

Eu: Não! A minha sogra está tão à frente no tempo que até tem um blogue.

Em coro, três vozes: "Hã?!"

30 agosto 2006

Do elemento masculino

este post.

I love NYC

Setembro a chegar, as saudades a apertar.









A uns dias de começar a escolinha

a minha filha tem uma ideia muito abstracta do que isso representa. Repete com naturalidade que vai para lá brincar com os meninos e com as meninas e dá especial ênfase ao facto de ir também com a I., a amiga também estreante nestas andanças.

(Eu também deposito muita esperança na companhia da amiguinha. E na adaptação. É um misto de ansiedade e receio).

29 agosto 2006

Pergunta de olho arregalado para a minha barriga: "Quando é que isso pára de crescer?"

Resposta: "Quando chegar à maternidade!".

Acontece frequentemente

Acabar de publicar um post e apagá-lo ou deixá-lo novamente em draft.

De dia para dia

o Noddy consegue irritar-me um bocadinho mais.

Para a S.


um regresso a casa tranquilo e feliz.
E um desejo de boas vindas a este lado ao C., ainda a recuperar de um nascimento um pouco mais atribulado que o normal.
Vai tudo correr bem.

Do meu álbum de bebé

Assegura-me que se trata dela própria, a "Maria bebé"
ou batendo com o indicador no peito, seriamente:
"Eu!".
Tem dito.

28 agosto 2006

Cumprimentar uma amiga grávida

é depararmo-nos com os choques de barrigas antes de as nossas bochechas se tocarem.

Não chegava o futebol.

As minhas colegas gostam de wrestling.

27 semanas - 3º trimestre.

Consta que já deve pesar 1 kg e medir 34 cm, a bebé que se mexe ininterruptamente dia e noite.

25 agosto 2006

Não há nada, nada

como o Sol de fim de tarde.

Frases mais ouvidas nos últimos dias:

(ditas por pessoas que raramente me vêem e que só agora se apercebem da gravidez)

"Mas que idade tem a sua filha? Dois anos? Ah, é muito corajosa!"

"Isso já vai adiantado!"

Gosto muito desta música

cantada por Isabel Silvestre e da autoria de António Variações.

Deolinda de Jesus

A minha mãe,
É a mãe mais bonita,
Desculpem, mas é a maior,
Não admira, foi por mim escolhida,
E o meu gosto, é o melhor,
E esta é a canção mais feliz,
Feliz eu que a posso cantar,
É o meu maior grito de vida
Foi o seu grito, o meu despertar,
Canção de mãe é sorrir,
Canção berço de embalar,
Melodia de dormir,
Mãe ternura a aconchegar,
Canção de mãe é sorrir,
Gosto de ver e ouvir,
Voz imagem de sonhar,
Imagem viva lembrança,
Que faz de mim a criança,
Que gosta de recordar

A minha mãe,
É a mãe mais amiga,
Certeza, com que posso contar,
E nem por isso, sou a imagem que queria,
Mas nem sempre me soube aceitar,
Razão de mãe é dizer,
Mãe cuidado a aconselhar,
Os cuidados que hei-de ter,
As defesas a cuidar,
Saudade mãe é escrever,
Carta que vou receber,
Noticia de me alegrar,
Cartas visitas encontros,
Essa troca que nós somos,
Este prazer de trocar,
Canção de mãe é sorrir,
Gosto de ver e ouvir,
A ternura de cantar
.

24 agosto 2006

Chamava-se Cobes

mas para nós, era o cão amigo.
Nosso companheiro nas férias.

Gosto de piolhices

escritas à moda da Ana.
E por posts como este.

À vinda do paraíso junto ao Rio Dão,

Pai: "Adeus, Santa Comba Dão, para o ano nós voltamos com a bebé Marta!"
Filha: "Xau, Ba Dão! Pó ano volta à piscina!"

Com 6 meses de gravidez

o maior disparate que se pode cometer é andar à procura no roupeiro de calças pré-gravidez que nos possam ainda servir. E experimentá-las. Buá.

(Tudo porque tenho muitas saudades de umas calças de ganga e as de grávida são autênticos sacos de batatas).

23 agosto 2006

Post-it

Gosto de ir às compras sozinha.
Não gosto de almoçar sozinha.
Gosto de arrumar as coisas sozinha.
Não gosto de passear sozinha.

22 agosto 2006

Petiscos bons



21 agosto 2006

Das três semanas de férias,





a do meio foi passada a três, num sítio particularmente bonito.
Junto ao rio, com o som dos badalos das ovelhas como barulho de fundo, de manhã e à tarde.
Numa propriedade com casas antigas recuperadas, dispersas no meio da vegetação.
Um recanto bem português mas onde, infelizmente, só se vêem holandeses.
Há poucas coisas que me deixem tão feliz como estar sossegada e com todo o tempo do Mundo.
Por lá, os dias são longos, bem dormidos e disfrutados.

De volta.

Tudo recomeça.
E a barra lá em cima diz que faltam menos de 100 dias.
É o 3º trimestre a chegar.