03 agosto 2007

Vamos de férias.

Até Setembro!

Tensão baixa

mesmo depois de um café, a 9-4 e a minha médica repete o mesmo: bolachas com doce a meio da manhã.

"Mas eu nem gosto de doce..."

(pausa)

"Pode ser...Sugus de melão?"

Dias

que se podiam repetir muitas vezes e ter muitas mais horas.

02 agosto 2007

Com um casal amigo que raramente vemos,

interrompemos sistematicamente o jantar para dar de comer a uma, mudar a fralda a outra, apanhar do chão o brinquedo, ir à casa-de-banho, justificar as vergonhas da mais velha que mesmo na sua própria casa demora a ambientar-se.

(Acho que se não estivessem à espera do primeiro filho, adiavam mais uns tempos, depois do serão de ontem!)

Chega a hora de as deitar, a crescida vai para o quarto a remoer a timidez e comenta com o pai:

"Não disse adeus aqueles miúdos!"

01 agosto 2007

Pela primeira vez

vamos quatro semanas de férias.

Eu acho que não sei ir quatro semanas de férias.

A histeria da minha filha, há umas noites,

por descobrir que estava novamente lua cheia.

-"Olha, olha, a lua está redonda, redondinha. É a lua cheia!"

(pausa)

-"Daqui a uns dias vai ficar cortadinha, e depois mais cortadinha. E daqui a umas semanas está redonda outra vez."

(pausa)

-"Pois é, não é?"

Feliz e vaidosa



assim foi hoje para a Escola.

Passeios nocturnos




sempre andámos a pé, na zona da antiga casa. Santo Amaro permitia-nos passeios e sonhos, em casas centenárias, com muitas árvores. A nossa nova zona não tem menos encantos, pelo contrário. A cada passeio pós-jantar que fazemos, descobrimos mais e mais. Viver num sítio com muitos anos e descobri-lo, com cheiro de caruma e pessoas a fazer o mesmo, é bom, bom. Ficar em casa com este cenário e tempo, é um crime.

No jantar de anos de uma amiga,

anteontem, a minha filha Maria era a mais nova das crianças (excluimos obviamente desta categoria os bebés). A dada altura, os mais crescidos sentaram-se numa mesa a conversar e a comer um chupa chupa enquanto a minha filha ficou a observá-los, ouvir a conversa e a sorrir, em admiração.

Os mais velhos.