31 agosto 2009

Tio Gi


É o meu 5º irmão. Não o vi nascer, como ao anterior, porque adormeci e os meus pais tiveram pena de me acordar. Lembro-me que, pela manhã, quando a minha avó me disse que ele já tinha nascido, ter ficado chateada por não ter ido. Do alto dos meus quase 8 anos, também me lembro de lhe querer mudar fraldas e de fazer de mãezinha dele.
Hoje, é o irmão que mais toma conta dos meus filhos, que me permite ir a concertos e a sair de vez em quando à noite e que fica a dormir por cá.
Obrigada, tio Gi!