15 novembro 2010

Às vezes é bom

estarmos com crianças verdadeiramente mal-educadas para sentirmos o alívio de que afinal, estamos a fazer um bom trabalho com as nossas. O mesmo se aplica em outras áreas da vida. Acontece frequentemente, e faz parte, para nos sentirmos reconfortados e darmos valor ao que temos.

O pior é quando não sentimos isso mas uma tristeza imensa pelo outro. Em que não nos conseguem sair palavras, mas tão e só uma angústia. Que não é nossa, mas invade-nos de tal forma, nos tira o sono, o apetite, a disposição, que é como se fosse.