30 junho 2011

Willow tree e nós

Se quisesse ilustrar a nossa vida até agora, nas famosas e amorosas figuras Willow Tree:






Gosto especialmente desta, que têm com 4 filhos. Simplesmente, o sexo do segundo filho não coincide com o nosso... snif. (E a pose daquele pai a colocar o bebé pequenino no colo, é igual ao pai cá de casa.)




Terapia da fala

Acho que nunca aqui escrevi que a nossa Marta andou a fazer terapia da fala, este ano lectivo. Depois de um rastreio, e apesar de o pediatra considerar ainda cedo, decidimos aproveitar a possibilidade de fazer sessões mesmo na Escola, uma vez que a terapeuta se deslocava lá.

A Marta fala à sopinha de massa. Os sons /s/, /z/, /j/, /ch/ eram sempre feitos com a língua ralaxada entre os lábios. Depois de algumas conversas com a terapeuta e de se perceber o historial dela, chegou-se à conclusão que este relaxamento dos músculos faciais e da língua terão tido origem nos constantes problemas respiratórios dela desde bebé, em que se habituou a respirar pela boca e ter a língua ali entre os lábios, como forma de deixar passar o ar.

Eu fui sopinha de massa até aos 10 anos, idade em que fiz terapia da fala. Era mais crescida e em pouco mais de 3 meses corrigi a forma de colocar a língua e sei o quão recompensador é conseguirmos corrigir aquilo que sentimos socialmente que está mal. A Marta tem tido imensa evolução neste ano lectivo e hoje, fomos assistir à última aula deste ano. Temos de continuar os exercícios que já fazemos em casa (mas que nos passam em alguns finais de dia mais agitados).

Quanto à avaliação da linguagem, encontra-se dentro do esperado para a idade, no percentil 50, tanto na expressão como na compreensão.
Bom, bom, é ouvir a terapeuta:

"A Marta é uma menina que está sempre sorridente, dá gosto estar com ela."

29 junho 2011

Consulta do 1º ano (aos 13 meses e meio)


Que ele está óptimo, todos sabemos, não precisávamos de médico a certificar: basta olhar para ele. Continua um bebé que desfaz qualquer um com a sua simpatia. Vai a todos os colos que se metem com ele, está sempre bem disposto e gosta de mimos, em doses exageradas. Arrasta-se com o rabo, mas andar é um projecto a longo prazo. Come muito bem, iniciámos há largas semanas a comida sólida e mastiga tudo direitinho. Não pode ver ninguém comer, que pede também.

Dorme lindamente (quando o deitamos na cama, espreita sempre entre as grades a certificar-se da presença do Joaquim na cama ao lado), fala muito e sons novos, e tolera todos os excessos dos irmãos e dos amigos, que lhe apertam as bochechas e tudo o mais.

É também conhecido por Cali, super-Cali, Calimero e Calipo.

Peso: 10600 g (percentil 50)
Altura: 79 cm (percentil 75)
Perímetro cefálico: 48 cm (percentil 90)

A minha alergia na pele voltou.

Estou em modo bicho novamente. Não tem piada.

27 junho 2011

Levar ao forno

pão de trigo feito em casa.



Ao domingo cantamos juntos.

video
Tu és soberano
Sobre a Terra, sobre os Céus
Tu és Senhor, Absoluto.
E tudo o que existe e acontece
Tu o sabes muito bem
Tu és tremendo!
E apesar dessa glória que tens
Tu te importas comigo também
E esse amor tão grande
Eleva-me, amarra-me a Ti
Tu és tremendo!

24 junho 2011

Coisinhas minhas

Quem trabalhou comigo (e tenho ex-colegas que lêem este blogue) sabem que nunca sofri do síndrome de exclusividade. Por assim dizer, nunca me considerei insubstituível nem nunca tive problemas em dividir trabalho com outros, ou de deixar que mexessem no meu.

Também nunca me importei, nem importo, quando descubro alguma coisa, em partilhar com outros. Aliás, eu gosto mesmo de quando descubro pechinchas ou tenho boas ideias, de as partilhar. Dá-me prazer que outros usufruam dessas descobertas.

Talvez a única coisa que me deixe mesmo alterada, não é quando me copiam as ideias. É quando copiam e finjem a autoria. Quando usurpam para si a originalidade. Ah, isso eu não gosto mesmo nadinha.

Monotonia é coisa de que nunca nos poderemos queixar.

video


Gostar de florinhas

o cúmulo da piroseira (sendo que piroseira, neste blogue, não tem sentido pejorativo)

(imagem retirada da net)


22 junho 2011

Já disse que eu e o Ebay somos muito amigos?

Cada vez gosto mais do Ebay. Tanto se acham coisas novas a preço de usadas, como se acham coisas usadas, que estão como novas, ao preço da chuva. Depois de ter comprado há mais de um ano uma forra para o ovo do Caleb, e depois a máquina da Maria (pelo meio, pequenas coisas), foi a vez de achar uma cadeira para o carro, que o Joaquim já precisava, e umas sandálias para a Maria. Ambos são de marcas boas e custaram muito menos de metade do que custariam numa loja, com a vantagem que nem saí de casa e as recebi em 3 dias, ambas (a cadeira veio do Norte do país, as sandálias vieram do Reino Unido).


Cadeira grupo 2/3, marca Britax, 39,90€. Na loja custa 139€.



Birkenstock, 4€. Na loja custa 50€.

21 junho 2011

A felicidade de receber.


"É para mim? É meu?", chegou ao pé de mim, emocionado com o equipamento que o tio Gi lhe tinha acabado de oferecer,aos pulos: "Mamã, ajuda a vestir isto! É meu!".

Já não é a primeira vez que acontece, receber uma prenda e ficar emocionado, de lágrimas nos olhos. Dá gosto oferecer-lhe algo, fica deslumbrado. Agora tem um equipamento, como sonhava. Mal acordou no dia seguinte a recebê-lo, desatou a procurá-lo, para o vestir. Miúdo querido.

Em 11 anos que lá vivi

quantas vezes terei entrado e saído por esta porta das traseiras?



Festas de Oeiras= carrossel+farturas+concertos+passeios







20 junho 2011

Sítios das saudades


Avó Maria dos Anjos

19 junho 2011

Ao domingo cantamos juntos.

video


Seja bendito o cordeiro
Que na cruz por nós padeceu
Seja bendito o Seu sangue
Que por nós, pecadores, verteu
Eis nesse sangue lavados
Com roupas que tão alvas são
Os pecadores remidos
Que perante seu Deus hoje estão

Alvo mais que a neve!
Sim nesse sangue lavado
Mais alvo que a neve serei!


Quão espinhosa a coroa
Que Jesus por nós suportou
Oh! Quão profundas as chagas
Que nos provam o quanto Ele amou
Eis nessas chagas pureza
Para o mais torpe pecador
Pois que mais alvos que a neve
O Teu sangue nos torna, Senhor

Se nós a Ti confessarmos
E seguirmos a Tua luz
Tu não somente perdoas
Purificas, também, ó Jesus
Sim, e de todo o pecado
Que maravilha desse amor!
Pois que mais alvos que a neve
O Teu sangue nos torna, Senhor!

17 junho 2011

Afogamento

É o meu maior medo enquanto mãe. Até porque já apanhámos em tempos, um valente susto.
Quero muito que os meus filhos aprendam isto, rápido.



O curso faz-se aqui.

Joaquim, 3 anos e meio

"Ó mamã, não é assim!", enquanto ajeita as cuecas.

Isto, sim, era tema que merecia ser tratado nos cursos de preparação para a maternidade.

16 junho 2011

César

Hoje terei de explicar aos meus filhos, aquando do nosso culto doméstico, que uma das pessoas por quem orávamos há largos meses, partiu. A saúde do César era frágil desde que nasceu, e ao fim de 46 anos, Deus assim quis.

Agora passamos a orar pela família Nobre, que nos é querida.

Ao domingo cantamos juntos.

Não costumo ter os vídeos de domingo, com imagem. Mas sem que eu reparasse, a Maria filmou este. O domingo que passou foi de Pentecostes e voltámos a cantar esta música, feita propositadamente para esta altura.

video


É um dia novo, este que vivemos
Algo desce em nós e nos dá as palavras que dizemos
Sentimos o fogo, idioma de poder,
Gramática alguma jamais conseguirá conter.

E cada frase sem tradução
o mundo ouvirá e entenderá no coração.
Saberá da cruz, do amor, do perdão,
Jesus ressurgiu e é Senhor de qualquer nação.

Coisas que me irritam pela internet fora:

Que se coloquem frases a indiciar segredos. Que se escrevam coisas para  despertar a curiosidade das pessoas e depois se responda que não se pode dizer. Se um segredo é um segredo, não é suposto saber-se que ele existe, certo?

14 junho 2011

Bom gosto, o da Apple

Isto.

!

Marta Cavaco, 4 anos, depois de entrar numa Escola Secundária: "Esta escola é bueda fixe, não dormem a sesta e os miúdos vão sozinhos para casa!"

Enquanto lá dentro se brinca às mães e às professoras,






13 junho 2011

Miúdas muito diferentes

A Maria é a filha ideal para ficar em casa o dia inteiro. Consigo trabalhar de manhã ao final do dia, que ela entretém-se nas suas brincadeiras, histórias, desenhos, televisão. Raramente me interrompe.

A Marta é a companheira certa para passeios. Se estiver a alguém para sair de casa, ela está sempre pronta para se calçar e ir, seja onde for, raramente se cansa e nunca se queixa de tempo a andar a pé.

Muito, muito diferentes, estas filhas.

Rapazes




Coisas de Maria



10 junho 2011

Disse Aristóteles, e disse muito bem:

"Alguns pensam que para se ser amigo basta querê-lo, como se para se estar saudável bastasse desejar a saúde."

09 junho 2011

"He is no fool who gives what he cannot keep to gain what he cannot lose."

Ontem, através de uma frase que o meu amigo Joel escreveu no Facebook, fui recordada de uma música que ouvi exaustivamente em 1990, e mais tarde. Encontrei um vídeo, eu ainda gosto tanto dela, e da respectiva letra. É inspirada na vida de dois missionários.



There once was a man born of high circumstance
Heir to advantage, He had every chance to succeed
But light from the cross made his dreams appear small
And to their surprise he went far--from it all
For the love of his Savior, for one priceless jewel
They could not understand so they called him a fool

He is no fool
If he would choose
To give the thing he cannot keep
To buy what he can never lose
To see a treasure in one soul
That far outshines the brightest gold
He is no fool, He is no fool


There once was a boy who could run like the wind
Given to lead, every man was his friend at the line
But light from the cross made his race appear small
And to their amazement, he followed the call
For the love of his Savior, for one priceless jewel
They could not understand so they called him a fool

Show me the fool who abandons his life
To walk in the steps of our Lord Jesus Christ.

08 junho 2011

Nuvens no regresso a casa

A A5 consegue ter sempre um céu muito fotografável, ainda que do lado de dentro do carro (o vidro às vezes faz reflexo).




07 junho 2011

7 de Junho de 2011, Cláudia.


Hoje foi dia de agradecer a vida de uma boa amiga que eu tenho: frágil, contudo forte. Discreta, mas cheia de personalidade. Silenciosa, mas sempre presente.

Digo que os mais altos desafios só são lançados a quem pode estar à altura deles. Hoje foi comemorado o primeiro dia do resto da vida dela. E eu estou muito feliz.

Podia, muito bem, ser o meu quarto.

O chão, as portas, a colcha, as mesas de cabeceira, o tecto, o candeeiro.





06 junho 2011

Ida ao Palácio de Queluz

No sábado, as famílias numerosas tiveram direito a espectáculo de Arte Equestre no Palácio de Queluz, e nós aproveitámos a oferta. No fim, piquenicámos à sombra de uma árvore. Com pouca gente nos cruzámos, depois disso.

Aqui tão perto, tão bonito e tão vazio.










63.


A minha mãe completa hoje 63 anos. São anos completos de muita entrega aos outros, ou não tivesse tido a minha mãe de cuidar da minha avó, desde cedo, demasiado cedo. Talvez a palavra que defina melhor a minha mãe é precisamente o serviço. A sua vida é feita de entrega aos outros, sempre cuidando deles. Se hoje sou uma pessoa generosa, vem da educação que tive. A minha mãe não olha a meios, se sabe que alguém tem uma dificuldade.

O seu desprendimento a tudo o que é material, é algo que sempre me tocou profundamente e que sempre quero imitar. A disponibilidade para assistir a quem precisa, igualmente.

O Tiago costuma dizer que a minha mãe é uma santa (lol).

Parabéns, mãe!

Ao domingo cantamos juntos.



De todas as tribos, povos e raças
Muitos virão Te louvar
De tantas culturas, línguas e nações
No tempo e no espaço, virão Te adorar

Bendito seja sempre o cordeiro
Filho de Deus, raiz de Davi
Bendito seja o Teu santo nome
Cristo Jesus presente aqui


Remidos, comprados, grande multidão
Muitos virão Te louvar
Povo escolhido, Teu reino e nação
No tempo e no espaço, virão Te adorar

E a nós só nos cabe tudo dedicar
Oferta suave ao Senhor
Dons e talentos queremos consagrar
E a vida no Teu altar pra Teu louvor.

04 junho 2011

Ovos mexidos, Cabanas e barquinho amarelo.


Ovos mexidos são a minha mais antiga recordação de férias com os meus tios. Se na década de 80, Assafora era para onde íamos frequentemente, 1990 trouxe-nos Cabanas de Tavira. Sou do tempo em que as pessoas não sabiam que no Algarve havia este sítio. Uma aldeia fantasma, era o que parecia, quando regressávamos dos passeios de Monte Gordo à noite.

Mas falava eu dos ovos mexidos. A tia Lena sempre os fez com leite, pela manhã. E depois eram metidos no pão acabado de comprar e embrulhados em papel alumínio para serem guardados na geleira. Depois enfiávamo-nos todos no velho barco amarelo e andávamos por alto mar. Mal chegavámos a uma dessas ilhas desertas que a maré nos cedia, mergulhava directamente no mar durante pelo menos uma hora, até a pele estar toda devidamente engelhada, estendia-me na toalha, comia a sandes de ovo mexido enquanto ouvia as cassetes do tio Luís, no walkman Sony que ele sempre me emprestava, e adormecia.

Acho que não é difícil perceber porque gosto tanto de ovos mexidos, com leite.

Bebé nasce a bordo de um avião

O parto demorou menos de uma hora. Só me ocorreu que ter um filho entre as nuvens, só podia ter sido uma boa ideia.



03 junho 2011

Orgulhosa do meu país


Um dos trabalhos que ando a fazer assenta numa investigação sobre a posição que Portugal ocupa, há já algum tempo, como um dos países do Mundo com a menor taxa de mortalidade infantil. E com isto, entenda-se, bebés recém-nascidos e crianças. Portugal ocupa lugar cimeiro nesta matéria, amigos.

Numa altura em que tantos movimentos se levantam sobre a humanização do parto (já estou como a minha obstetra dizia: Humanização? Mas eu nunca fiz partos a macacas!), talvez fosse bom termos consciência que somos o país da Europa com os dados mais favoráveis neste capítulo.

Que, por exemplo, ainda na década de 80, nenhum bebé nascido com menos de 1000g sobrevivia e que hoje sobrevivem quase todos, muitos deles sem sequelas. E que devíamos orgulhar-nos disso e pensar que somos bons, que fazemos muita coisa bem.

E talvez reflectir, que quando nos viessem falar que nos outros países é que é, que as mulheres dão à luz em melhores condições, que se calhar não é bem assim.

Ou que se calhar é, mas morrem mais bebés.

Nota: o estudo é este.

Sim, eu divirto-me sozinha com legos.