31 outubro 2011

*

Da mesma forma que não acredito na sorte, testemunho da Graça de Deus. Tudo o que sou ou tenho de bom, não é mérito meu, mas apenas e só o resultado dessa Graça imerecida, e que um dia me foi entregue.
A minha gratidão a Deus é enorme e difícil de expressar em palavras.


Diz que hoje é o dia da poupança.

para uns, poupar é ir menos vezes ao cinema, ou deixar de comer fora. Para outros, é deixar de usar marcas diferenciadas e passar para as brancas. E portanto, poupar é um conceito com múltiplas interpretações. Por isso, eu acredito que de uma forma geral, temos sempre onde poupar, se assim for preciso.

O vídeo:

video



A notícia em papel, é esta e basta ampliar para se conseguir ler.



Talvez a chegada da maturidade também seja isso: aceitar uma fotografia em que não gostamos de nos ver, mas não deixar de gostar dela. Porque todos os outros estão muito bem, são lindos, e gosto do retrato de nós 6.

Pela Vera Marmelo.



Dizia Nelson Muntz,

dos Simpsons:

"Gosto de chorar junto ao mar, porque aí as minhas lágrimas são pequenas."

28 outubro 2011

Ideias a copiar

uma amiga enviou-me há muito tempo esta ideia, a ter no hall de casa. Deixa-os crescer mais um bocadinho e poderem fazer tarefas além de guardar pijama todas as manhãs e puxar as orelhas ao edredão (coisa que já fazem) que eu arranjo a entrada de casa com uma coisa semelhante.



Eu, pequena.

Havia um blogue de que gostava muito, que se chamava Rua da Escola. Um dos textos que o João L. uma vez escreveu, tocou-me particularmente. E recordo-o muitas vezes. Aqui fica:

«Às vezes não consigo falar com Deus.A maioria das vez consigo, mas outras não. “Às vezes” e “consigo” repetidos com “não” às vezes no meio, embora não seja a norma.”Às vezes” porque não sou linear e “consigo” porque é aleatório depender de mim ou não.
É um mistério. Mas vá lá que não é um mistério confuso.
Eu pequeno, percebe? Eu pequeno e a querer pedir a Deus que fizesse um milagre à antiga. Não saía a frase pretendida por mais que me concentrasse: “Senhor Jesus, cura a doença dos meus olhos para que eu possa ver bem e não precise de usar óculos”. Ali, emperrado e surpreendido por estar a perder a hipótese de jogar à bola sem os aros de metal, sabendo-me perdido como sucessor do Humberto Coelho como capitão do Benfica. De algum modo, sabia que não fazia sentido pedir.
 “Há coisas que não faz sentido dizer a Deus?”
 Foi um choque.
Se eu tivesse conseguido orar, quem sabe?
Um pouco como hoje de manhã. De talão na mão, esperando ser chamado numa repartição pública, passou-me pela cabeça pedir a Deus uma coisa. Como dessa vez, o pensamento não passou a prece. “Metes-te nas coisas e depois vais pedir a Deus que te dê uma mãozinha”. Talvez tenha pensado algo parecido. Mas dava-me jeito, a sério que dava que orasse e as palavras fossem atendidas.
Não é um sistema. Um tipo não compra um cartão pré-pago com tempo de oração. A oração sincera sai-nos do corpo e é difícil de fazer. Tem a ver com reconhecer a grandeza, a sua autonomia e atributos que tais. De facto, Deus tem o condão de nos paralisar quando se tem respeitinho.
Qual a conclusão deste post? É esta, para que o leitor não se sinta frustrado: “Honestidade e Oração podem originar poucas palavras perante Deus”.»

27 outubro 2011

A ser piroso,

que seja irritantemente piroso.


Não é a minha sala

mas poderia muito bem ser.

Queremos conhecer-te

É costume cantarmos, nas nossas Igrejas, um coro pequenino chamado "Queremos conhecer-te". Comento sempre, aqui em casa, que esse coro é apenas o refrão de uma música que cantei muitos anos, quando fiz parte de um grupo musical.

Como não há em português, aqui fica a única versão que encontrei no youtube, para que se tenha uma ideia do que me refiro. Coloco, também, a letra em português tal como a conheço (e que foi traduzida pelo Dale Chappell, que era quem nos dirigia).



Até que nós te demos
Em nós, primeiro lugar
Até que tu nos enchas,
Por dentro renovar
Nada importa, é ilusão
Pois sem Tua presença
Vivemos, mas em vão.

Queremos conhecer-te
Viver para mostrar-te
O amor que te devemos
E teu coração buscar.

Porque quebrado foste
Porque nos viste, Senhor.
Porque nos deste de graça
Na cruz o teu amor
Nós agora somos teus
E criações completas
Em ti Nosso Deus.

25 outubro 2011

Rapazes e meninas

A ideia e concretização foi da Vera.





Instantes antes de ir dormir



24 outubro 2011

Sobrinhas


Gosto de ter sobrinhos/as ao colo. Enquanto eles deixam e querem. E que um dia mais tarde se recordem de eu o fazer, e o guardem com prazer. Porque das memórias mais bonitas e reconfortantes que tenho são de quem me deu colo, me penteou pacientemente cabelos, me leu histórias. 


Amor à primeira vista

Pizza de rúcula e tomate cereja.



A fidelidade que se estende até às nuvens.

Recordava agora pela manhã, um dos meus coros preferidos e que não tenho gravado.

"O teu amor aos céus se estende
Tua fidelidade até às nuvens vai
Tua justiça majestosa é como os montes
Sabedoria mais funda que o mar
Mas me dás a mão.

O teu amor me enche o coração
Encontro paz à sombra do teu perdão
Me satisfaço na abundância da tua casa
Do teu rio de alegria beberei
E Tu és meu rei."

23 outubro 2011

31

A minha irmã Raquel fez anos no dia a seguir ao Tiago. Talvez porque quase 4 anos nos separem, e a imagino sempre mais nova, demorei a chegar à conclusão de que a minha irmã já não é a menina que vi crescer.




22 outubro 2011

Gratidão

Recebi este texto, de uma amiga, há largos meses. É tão bonito e verdadeiro.

"A gratidão é uma experiência subjectiva, como a fé. É mesmo um acto de fé que a substância do ser humano nunca pode mudar. Nela não há incerteza; é feita de pertinência. A gratidão é o que há de menos efémero na nossa vida. Por ela, somos provavelmente menos livres, mas também menos sós. Isto é bom."

Dicionário Imperfeito, Agvstina Bessa-Luis.

21 outubro 2011

Little Jack.

Faz hoje um mês que foi operado. O olho está ligeiramente vermelho, mas muito pouco. Notamos imensas diferenças. Pode-se comprovar nesta fotografia. Antes, era impossível o Joaquim conseguir focar um objecto tão próximo sem que o olho fosse todo para dentro. Daqui por duas semanas temos consulta.


(Foto do Tiago Ramos)


Passatempo

Encosta a cara ao chão, a inspeccionar o que poderá estar esquecido por baixo dos sofás, e estica o braço, até conseguir apanhar o que entende.

19 outubro 2011

Praia da Morena, Costa da Caparica. A simplicidade cheia de bom gosto.







18 outubro 2011

:)

Dizem que nada se consegue sem esforço, mas uns têm o caminho mais facilitado que outros. A minha amiga Cláudia tem-me mostrado, em 2011, que as adversidades podem ser vividas no seu tempo, com humildade e determinação. Ontem foi dia de celebrar.
video





De graça.



Deus de graça, a minha face não vou esconder de Ti
Vergonha, culpa e nudez estão perante Ti
Entre a luta, a dor e os sonhos desfeitos aos meus pés
Só Tua graça os ultrapassa
P'ra ser completa em Ti.

E a tua graça vem vestir justiça em mim
Tua misericórdia, amor
E Tu me dás a perfeição
Eu estou completa em Ti.

17 outubro 2011

2 em 1


"Porque aonde quer que fores, irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus. Onde quer que morreres, morrerei eu, e aí serei sepultada.
Faça-me o Senhor o que bem lhe aprouver, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti."

Rute 1:16

Desejo ir sempre no lugar do pendura, como até aqui. Deus tem sido bom com as nossas vidas, e eu não podia ter outra metade, a completar-me. Orgulho-me pela tua vida, Tiago.


14 outubro 2011

Coisas com a minha cara

Não vivo nos Estados Unidos, e Portugal não tem destas coisas, assim em português.
E a minha casa merecia, a sério.








13 outubro 2011

Sobre Amanda Knox, cuja declaração de liberdade mexeu comigo:

"Assim que o tribunal de recurso de Perugia anulou a decisão de primeira instância, muita gente reagiu virando o bico ao prego: Amanda Knox tinha sido absolvida porque era bonita. Mas todos os estudos empíricos indicam que a beleza é sempre uma vantagem excepto em tribunal. A beleza, pelo fascínio que causa e pela promessa vaga que alimenta, modifica o nosso comportamento, e as criaturas atraentes são favorecidas por esse efeito. Mas quando uma pessoa se vê em julgamento, formalmente acusada de alguma coisa, a beleza depõe contra ela, em tribunal o indivíduo belo está a ser castigado, e de algum modo é a própria beleza que está a ser castigada, por isso as testemunhas e os jurados costumam descrever os réus atraentes como gente mentirosa, ínvia, perversa, dúplice, luciferina, manipuladora, fingida. Ou seja, tudo aquilo que os tablóides chamaram a Amanda nos últimos quatro anos.

O tribunal de recurso detectou 54 «erros grosseiros» na produção de prova, alguns dos quais já tinham sido denunciados pela defesa, pela imprensa e por peritos independentes. Bastavam as trapalhadas com o ADN para deitar este caso abaixo. Mas também nunca ficou estabelecido concretamente o motivo do crime, que descambou muitas vezes em suposições fantasiosas e moralistas sobre a «promiscuidade» de Amanda. E nunca ficou provado que Amanda e Raffaele estivessem no local do crime quando o crime foi cometido. As provas eram circunstanciais e duvidosas, o motivo nebuloso e nada garantia que os acusados tivessem sequer estado no local do crime. E mesmo assim, Amanda foi condenada a 26 anos de cadeia e Raffaele a 25. O tribunal de recurso, com um certo embaraço e bastante vergonha, anulou tudo, «perche il fatto non sussiste».

Não sei se Amanda Knox é inocente ou culpada. Sei que em processo se gerou uma «dúvida razoável», e que nesses casos se deve absolver. Dir-me-ão que não sou insensível às questões estéticas; mas quem tem que ser insensível a isso é o tribunal. Quando eu for insensível à estética, levem-me preso. "

Pedro Mexia, aqui.


Na minha caixa do correio:

Uma amiga lembrou-se de mim. O meu hall de entrada cheira a nuvens. E cheira tão bem!

É um desejo antigo.

Já tinha falado dele aqui.

Por que é que não vendem casas nas árvores?





12 outubro 2011

Fez ontem 17 meses

video

É mesmo xunga.


25!





Ontem a nossa "filha" Rita fez anos. São 25 de uma vida que se perspectiva ainda mais bonita do que até agora. Deus é com ela.


10 outubro 2011

Bem sei que ainda está calor


Mas já há castanhas. E não precisa estar frio para se comer castanhas cozidas com sal e erva doce.

Sabonete de leite de burra


Sabonete hidratante, tão sedoso que nem vos conto. A tia Lena (do tio Joel, para diferenciar da outra tia Lena) ofereceu-me há uns tempos e fiquei fã. Para quem não achar em qualquer lugar, a antiga Fábrica de sabonetes Confiança manteve o seu ar vintage, mas modernizou-se e tem um site. Aqui.


Little twin stars


Quem se lembra? Gostava tanto...


07 outubro 2011

O bebé já viu e ouviu muita coisa

mas algumas ainda o deixam apreensivo.

video



Em dias normais, absolutamente corriqueiros, os amigos tornam pequenos momentos, muito especiais.

Em casa de amigos,

foi permitido à Marta que fizesse o que mais gosta: lavar loiça, ajudar a levantar as mesas, etc. Uma das pessoas presente, que não conhecíamos, encantada com o ar despachado dela, disse-lhe:

"Ó Marta, és uma grande ajudante. Eu só tenho um neto, dava-me jeito ter assim uma neta como tu, o que achas?"

Marta a lavar a loiça, de avental, de cabeça inclinada em tom compreensivo:

"Pois. Mas olha, eu não nasci tua neta. Por isso não posso ser tua neta."

Assunto arrumado.

06 outubro 2011

Plantas

Numa feira aqui ao pé de casa, comprei a planta que aparece no canto inferior direito. Parece uma couve e tem um ar suficientemente resistente para vir para a nossa varanda. Vamos ver quanto tempo dura.

Quantas bagas pode ter uma romã?



04 outubro 2011

Melhorias, a pouco e pouco.





Numa situação normal, ao olhar assim para cima, o olho direito do Joaquim tenderia a ir também para o canto, e quase desaparecia. Ainda entorta um bocadinho, como se pode ver, mas não tem comparação com o que era.

(A parte vermelha, foi onde o olho foi mexido.)


Marta e Joaquim.

O jantar já tinha acabado, mas como fazemos o culto doméstico a seguir, os miúdos esperam sentados à mesa, enquanto levantamos tudo e limpamos a toalha. Típico final de dia, ou um repete em gozo o que o outro está a dizer, ou inventam coisas estilo: "Tu não és Joaquim, agora és a Joaquina" e por diante.

Ao fim de várias deste género, a Marta referiu-se ao "papá" como "pai" (expressão que cá em casa não usamos) e o Joaquim diz:

. "Papá, a Marta disse Pai..."

Resposta da Marta:

- "Sim, e qual é o drama?"

Sabemos que o bebé já é um bocadinho menos bebé, quando as vacinas deixam de ser administradas nas pernas, e passam a ser nos braços.




Buganvílias






 Foi em Cabanas que me apaixonei, há muitos anos, por buganvílias. A casa é rodeada por elas, e nas tardes em que se levanta o vento, as folhas voam e caem por todo o lado. Aqui na nossa zona, a mesma coisa. A fragilidade e a beleza.

03 outubro 2011

A minha pré-adolescente.








Rapazinho





Ao domingo cantamos juntos.

video
Lá está o meu tesouro
Lá onde não há choro
Onde todos cantaremos juntos
Hinos de louvor ao Senhor.

Aleluia, Aleluia
Hinos de louvor ao Senhor.