27 fevereiro 2013

Os homens não se querem doentes.

Desde domingo ao final do dia com febre e sintomas da época, esta criança mal sai do colo, ou da cama. Comida, brinquedos e afins, nem lhes toca. Dizia a minha avó que "a febre alimenta" e portanto, é uma questão de tempo. Mas a grande diferença nisto da maternidade, é a mariquice destes homens cá de casa. O mundo deixa de rodar à volta do Sol, fica tudo suspenso enquanto estão doentes (já as meninas, o mais que param é no sofá a ver desenhos animados).
Haja mães e haja colo, e tudo se cura.