23 fevereiro 2013

Quase nos 36

de vez em quando "espanto-me" com alguns sinais de que o tempo passa, em mim. Talvez porque a tendência seja olharmo-nos como jovens muito tempo, não sei. Os mais velhos que aqui vêm dirão que sim, que sou uma jovem. Mas não sou uma jovem como os jovens. Eu explico! A ficha encaixou-se-me quando, há pouco tempo, em conversa com uma miúda de 19 anos, me diz: "Que giro, não sabia que faziam assim no teu tempo!"

E pronto, nesse dia iniciou-se o capítulo da minha vida: "Não tarda és uma quarentona e vai-te habituando ao filme."