01 julho 2013

Orações no Inverno, milagres no Verão.

"Chega aqui para conheceres o rosto das orações",
e veio-me logo à cabeça: "A Kika?"

Logo no início de Janeiro, este amigo de Faro enviava-me por mensagem um pedido de oração urgente. Uma irmã de uma crente da Igreja tinha tido um bebé prematuro, e ela própria encontrava-se em risco de vida. Sei que foram largas semanas (final de Fevereiro, se não estou em erro) a orarmos no nosso grupo de mulheres da Igreja por esta mãe. Esteve em coma, levou transfusões de sangue continuadas, pareceu melhorar, voltou a piorar. No início de Março soube que já se encontrava em casa, com o bebé, e a recuperar.

Ontem, no final do culto, conheci o rosto deste milagre. A Kika está bem, e creio que até ficou um pouco espantada com a minha forma emocionada de a cumprimentar. Depois percebeu, foram semanas com o nome dela presente e a receber notícias animadoras, ora desanimadoras.

Não dá para não acreditar em milagres e para não os pedir: o Deus a quem oramos pode curar e cura.
A nós, resta-nos agradecer, depois de tanto pedir.