30 agosto 2013

Praia, últimos cartuchos.



- Fotos tiradas com o tel. -

O nosso lado tio.

- Foto tirada com o tel. -

29 agosto 2013

Tudo é amor, aos 5 anos e meio.

A tentar apanhar uma conversa dita em tom mais baixo que o normal entre pai e mãe,

Marta: "O que é que tu disseste, Papá?
Joaquim: "Ó Marta, os amores são mesmo assim. Estão apaixonados e dizem segredos um ao outro."

Gostar de queques

e de pratos para os queques.


- Comprado com a Raquel a semana passada, ao pé de Água de Madeiros -

É fantástico ser cristão!


É muito bom não ser ateu. Poder pensar não apenas naquilo que Deus pode fazer por nós mas poder pensar também naquilo que podemos fazer por Deus.

É fantástico ser cristão! Se os portugueses não estão interessados é talvez porque nós, os cristãos, não temos comunicado as imensas vantagens de ser salvo pela Graça.

- Russell Shedd, Agosto de 2013 -

Há coisas boas, fora de casa e não sendo um hotel.

Coisas positivas de uma casa-de-banho partilhada, numa família como a nossa:

luz natural;
vários lavatórios e duches à disposição;
espaço para circular.




28 agosto 2013

Do sofrimento


O apóstolo Paulo estava preso quando escreve a carta aos Colossenses. As orações de Paulo nunca mencionam pedidos de libertação, a sua preocupação são os irmãos em Colossos, e que tenham nos seus corações o desejo de conhecer a plena vontade de Deus.

A primeira coisa que Paulo quer que os colossenses entendam é que ele é participante dos sofrimentos de Cristo. No versículo 24 do capítulo 1, Paulo diz algo chocante: que tem a maior alegria em sofrer, porque olha para as consequências desse sofrimento (Paulo correlaciona os seus sofrimentos com a conversão de gentios e o crescimento da Igreja).

O sofrimento é necessário para avançarmos no conhecimento de Cristo, em áreas onde Cristo ainda não brilhou. O sofrimento é natural para quem leva Jesus nesta batalha com Satanás e as suas forças.

Ainda que o mundo ache uma loucura total o sofrimento vivido com alegria, na glória os conceitos serão revertidos: os últimos serão os primeiros.

Na prisão, Paulo luta com os colossenses, de joelhos. Lutar espiritualmente é algo que raras vezes gostamos. É muito mais fácil lutar na presença do resto do mundo.

Paulo não conhecia os colossenses. Derramar lágrimas por um povo que não conhecia, era um dom que Paulo tinha.

Quanto mais eficaz for o propósito, mais oposição teremos. Precisamos ser constantemente relembrados que a santidade é um presente que nos é dado e não o resultado de um esforço nosso.

Se a fé for firmada na verdade de que todos os tesouros e soluções estão em Cristo, conseguiremos ultrapassar qualquer problema.

- Russell Shedd, Agosto de 2013 -

27 agosto 2013

Dizendo e reflectindo o Pai Nosso.

"Pai Nosso"
Deus relacionar-se connosco deve-nos confundir e extasiar ao mesmo tempo. A base da oração é a fé. Sem fé é impossível agradar a Deus. Podemos orar incessantemente sem nunca nos serem explicadas ou respondidas algumas orações particulares. Ainda assim, Deus continua a ser o Pai.

"que estás nos céus"
Está nos céus. Está na terra. Está em todo o lado. Deus não tem nenhuma dificuldade em ter uma visão abrangente do mundo inteiro. O Pai que está nos ceús está interessado com o que está a acontecer na Síria, na Índia, aqui, e em todos os povos não alcançados.

"santificado seja o Teu nome"
Que o nome de Deus seja santificado é orar para que o dono da seara fale através de pessoas que têm possibilidades e dons de apresentar as boas novas de Cristo, para que os nomes dos deuses falsos sejam envergonhados.

"venha o Teu Reino"
Quando se pede a vinda do Rei é claro que estamos a pedir que Jesus venha e reine sobre a terra. Mas, ao mesmo tempo, a palavra "reinado" significa mais que território, o domínio de Cristo sobre as pessoas que o recebem como rei.

"seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu"
Quando ficamos admirados com a maldade, imediatamente reconhecemos que a vontade de Deus não está a ser feita.

"o pão nosso de cada dia dá-nos hoje"
Por que devemos orar para que o nosso pão não falte? Jesus vem-nos fazer tão bem como as refeições nos fazem. A oração não nos deixa faltar o contacto genuíno e autêntico com Cristo. Quer a comida quer a oração ficam colocadas ao mesmo nível do quotidiano. Também somos aquilo que comemos. 

"perdoa as nossas dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores"
Não podemos pedir mais perdão a Deus do que estamos dispostos a oferecer aos que nos devem a nós. Os nossos pedidos de perdão começam por reconhecermos que somos devedores. 

"e não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal"
Um pedido bem interessante. Dizer "não nos deixes cair" é uma tradução que suaviza o impacto da frase original. Sabemos que Deus não pode tentar. Deus leva-nos a provações, experiências que devemos abraçar com muita alegria. Porque nos fortalecem e criam mais fé. Deus dá sempre uma maneira de escapar à tentação. 
 
"pois Teu é o Reino, o poder e a glória, para sempre. Amém. 
(Não fazem parte do original, mas fazem todo o sentido)
Se um cristão nunca quer orar podemos desconfiar se ele está a respirar espiritualmente.

- Por Russell Shedd, Agosto de 2013 -

Prometo que em Setembro eu acabo com isto.

Mas enquanto ainda é Agosto, deixem-me só partilhar mais umas fotografias da semana que passou, ok?












18 agosto 2013

Providência

O Kyle fez 4 anos, e pelo meio vamos comprovando da mão grande de Deus, que sustenta e cuida de todos, de todas as idades.









16 agosto 2013

Memorizar Salmos

Aqui há umas semanas, explicava aos miúdos na classe, que teria uns 7/8anos quando decorei o meu primeiro salmo. Ainda hoje o sei de cor. Incentivei-os a fazer o mesmo, e pouco mais de uma semana depois, já a maioria tinha escolhido e decorado um salmo!

Passear a qualquer hora.







15 agosto 2013

Piquenicar

esse verbo tão apropriado.







13 agosto 2013

Não são as saudades. É a culpa.

Em 1999 via tudo muito diferente do que vejo hoje. Parece que a vida é assim. Se pudesse mudar alguma coisa, mudaria a forma como encarei a eternidade de alguns que me foram próximos. Que nunca mais me falte a urgência em falar. E que os constrangimentos sejam despejados no lixo.

Férias de Verão

Lembro-me, como se fosse hoje, de em 1994 ter de escolher entre ir para o Algarve com os meus tios, ou estar várias semanas a colaborar num acampamento. Escolhi a segunda. Perdi uns quilos esse Verão, que no acampamento da Palavra da Vida trabalhava-se e não era pouco.

Hoje, a colaboração que eventualmente damos neste âmbito é diferente, mas ainda assim pode ser cansativa. Não é o que importa agora. Continuo a preferir uma semana destas a qualquer ponto de descanso algures. O que trago é demasiado importante e não encontro assim ao virar da esquina. Mas compreendo ainda hoje a dificuldade em me explicar: as tardes são demoradas e sem programa definido, não há calor mesmo sendo Agosto, podemos ser brindados com formigas no quarto, os pés enchem-se de areia com facilidade, as casas-de-banho são partilhadas, o menú está pré-definido sem hipótese de escolha.

Mas há coisas que não são mesmo para se explicar. Apenas são.










12 agosto 2013

8 anos

São os que o Tomás completou ontem, com o Simão de colo em colo, a relembrar-nos de como este sobrinho de 2005 era quando nasceu.


Água de Madeiros.




Voltar a sítios, não apenas mas também pela confirmação dos sítios onde não queremos estar.

02 agosto 2013

Talvez das coisas que mais me conforte,

nisto da maternidade, há quase uma década, em que o máximo de tempo que nós os pais nos ausentámos deles foi uma noite, é vê-los a ficar com amigos, com família, sem cenas, sem fitas, sem choros, felizes.

Dizem os entendidos no assunto que assim se vê da auto-estima, da autonomia, da confiança que têm também em nós. Sabem que os deixamos, mas que vamos regressar. No entretanto, são felizes. E eu sou feliz, por sabê-los em braços que cuidam.

01 agosto 2013