30 setembro 2013

Fraquezas, e receber da Graça.


Não são poucas as vezes em que me sinto completamente aparte das outras mães. Sei que a minha realidade colectiva de mãe de 4 poderá alterar a minha perspectiva do assunto, mas sinto-me muitas vezes a pensar sozinha. Estou a facilitar? Estou a ser muito rígida? Trato todos por igual? O que é que eles vêem em mim? Que mãe sou? Deus agrada-se do que vê em mim? A comparação acaba por ser inevitável, e se tenho muitas vezes provas de que o caminho é duro mas compensatório, o maior conforto que encontro não é no que outros me poderão dizer, mas confiar que Deus me vai ajudar a cada manhã que me levanto, a ser mais dependente da Sua orientação. E só é possível assim.

Artigos como este abaixo, também:

"Rather than mother in my own strength, I parent through my weakness and on my knees. Each day I come before God, broken and helpless. I give him my messy life as a mother and receive in return the grace of the gospel. I've learned to embrace my weakness and messiness, not because my failures are good but because they open the door to God's grace."

Na íntegra, aqui.

Joaquim, quase 6 anos.

"Deus não precisa de pensar porque Deus já sabe tudo."

27 setembro 2013

Está toda a gente convidada

e com antecedência. A entrada é livre.



Tremoços




Gostar de coisas antigas e herdadas - 24

Molheira. Da avó Zé.

Um novo ano

Este ano lectivo iniciou-se com alterações grandes na logística aqui de casa, novos desafios. A Maria está no 4º ano e a Marta no 1º, num novo projecto a que nos quisemos associar, e que depois de muito debate, conselhos, oração, nos tem trazido muita paz e entusiasmo.

E neste caso o "quem corre por gosto não se cansa", aplica-se.










Mais bebés!

Ontem ao final da manhã nasceram o Josué e Caleb, enchendo o nosso coração de gratidão pelo cuidado que Deus tem tido com esta família querida. Da próxima vez que sairmos juntos à rua, daremos ainda mais nas vistas!

26 setembro 2013

.

A multidão de gente que se ouve na rua a falar alto, que depois entra no meu prédio, deixa a porta da rua bater com força, que grita e uiva, corre escadas acima, não é uma multidão. É o meu pai com dois dos netos.

Dream team

Assim de repente, que me lembre, faltam aqui pelo menos 10 mulheres que nem sempre podem estar presentes. Mas o que importa dizer sobre este retrato é que representa aquilo que temos sido: uma equipa. Completa-se por estes dias um ano desde que começámos estes encontros todas as semanas, um dia pela manhã. Dividem-se fardos e contam-se inúmeros motivos de gratidão, dos mais pequeninos aos maiores. Se eu fizesse uma lista da quantidade de motivos pelos quais orámos e que obtivemos respostas, nunca mais acabava de escrever.
Deus é bom!

25 setembro 2013

Jantar de sopa e panquecas

Marta Cavaco, do alto dos seus quase 7 anos:

"Isto é que é um jantar!"

I João 4:18

Ainda hoje pensava que ter medo pode ser o maior obstáculo na vida: medo de fazer má figura, medo de fracassar, medo de perder, medo de errar. Mas fui relembrada do versículo que diz que o perfeito amor - de Deus - lança fora o medo. E que quem tem medo, não é aperfeiçoado no amor.

Mais um bebé!

A Mariana chegou no sábado, o segundo bebé dos 8 que esperamos até Maio do próximo ano, na nossa Igreja. É pequenina, um verdadeiro nenuco, e vem-nos lembrar da constante fidelidade de Deus.




24 setembro 2013

Aviva-nos, Senhor. Eis nossa petição. Ateia o fogo do alto céu, em cada coração.

"Acaso não nos renovarás a vida, a fim de que o teu povo se alegre em ti?" - Salmos 85:6 - 

Foram praticamente quatro dias a estudar sobre a Bíblia, sobre os requisitos para a analisar melhor, para se pregar sobre ela, a necessidade de ser o guia da nossa vida e a urgência de falarmos dela a outros. Consistiu nisto a Conferência da semana passada. E se cheguei ao final do primeiro dia completo já com algumas dificuldades em adormecer, o final da semana tirou-me qualquer tipo de sossego.  

Depois de termos estudado acerca dos requisitos para a pregação da Palavra, os erros que se podem cometer no seu estudo, a necessidade da dependência do Espírito e todo o contexto histórico de alguns séculos sobre práticas de oração, liderança, vivência familiar, ouvimos sobre avivamento.

O Pr. Franklin Ferreira colocou a tónica no facto de um avivamento ser sempre um acto colectivo, "um poderoso derramamento do Espírito Santo sob a Igreja local, em resposta às orações dos cristãos, transformando-a completamente por meio de uma reforma doutrinal e da santificação e que resulta em muitas conversões simultâneas e uma transformação radical da cultura, por meio da educação, missão e da reforma social. Muitas vezes, é acompanhado de milagres." Depois desta descrição, é fácil perceber: Portugal nunca teve um avivamento.

O Pr. Paul Washer cumpriu aquilo por que é conhecido: arrasou connosco. Explicou  sobre a nossa condição de pecadores, sobre quem Deus é, do abismo que nos separa dele. Sobre a nossa incapacidade de escaparmos da condenação eterna do Deus que é justo e odeia o pecado. A ênfase grande esteve na forma como levamos o Evangelho aos outros, e como o vivemos no dia-a-dia. A verdade, e isso o Tiago já disse aqui, não ouvimos nada que não soubéssemos. Mas posso dizer que o que ouvi, apesar de já o saber, me soou como que a novo, de tão angustiante que foi. E essa parte vou tentar reproduzir:

Momentos antes de ser conduzido para uma morte horrível, Jesus orou no jardim. A dada altura, pede ao Pai, que se for possível, passe dele aquele cálice. Quando imaginamos isto, pensamos sempre nas chicotadas, na humilhação, na tortura, nos pregos na cruz. Sabemos também que não é só isso, é também a punição pelo pecado da humanidade. Tudo junto.

Mas é fácil focarmo-nos no sofrimento físico, e ainda não há muito tempo, recordo-me de chorar copiosamente com um vídeo em que um médico explicava do ponto de vista dele a crucificação. Nunca desvalorizando estes sofrimentos, o Pr. Paul Washer contava-nos de como a história está repleta de cristãos - mulheres, homens e crianças- que caminharam para mortes agonizantes destas, a cantar, alegres por morrerem pela sua fé.

Quando Jesus pede a Deus que se puder, o livre daquele momento, acham mesmo que era a cruz romana que ele queria passar? Acham que eram as chicotadas que ele temia, a humilhação pública, os pregos a atravessarem a carne? Nem pensar! Quando Jesus pede a Deus que se puder, o livre desse momento, é porque sabe o que vai acontecer naquele instante: a mão de Deus cai sobre ele, em toda a sua ira, por todos os pecados que a humanidade cometeu e ainda vai cometer.

Se hoje podemos ser salvos, não é porque os romanos pregaram Jesus numa cruz, mas porque enquanto estava naquela cruz, Jesus carregou os nossos pecados e o Pai o esmagou como sacrifício no nosso lugar (diz em Isaías 53:10: "Ao Senhor agradou moê-lo").

A angústia, a culpa, a vergonha sentidas ainda em maior escala hoje, por esta condenação eterna que só pode ser evitada por causa deste acto terrível, a dor no peito pela eventual condenação de alguns queridos, o desejo de sentir um avivamento, podem mesmo tirar-nos o sono.

!

Deus diz ao Sol para se levantar,e ele levanta-se. Ordena que as estrelas brilhem,e elas brilham. Manda ao vento que sopre, e ele sopra. Que as montanhas se ergam, e elas erguem-se. 

Diz ao homem:"Vem cá!" e a resposta que obtém é: "Não vou." 

Não é ridículo?

-Paul Washer, Conferência Fiel 2013-

20 setembro 2013

Conferência Fiel

O tema era "O verdadeiro Evangelho".Na primeira foto, o grupo presente da nossa Igreja com Paul Washer. E na segunda, com Franklin e Marilene Ferreira.





Pecado.

Para percebemos o quanto Deus odeia o pecado, basta pensarmos:
quantas vezes Adão e Eva tiveram de pecar para serem expulsos do jardim?

-Paul Washer, Conferência Fiel 2013-

19 setembro 2013

Minúscula

Desde segunda-feira passada, encolhi. Não perdi centímetros nem quilos mas estou muito mais pequenina. O mais estranho é que é um sentimento bom, ainda que turbulento. Tenho alguma dificuldade em explicar a sensação saborosa e avassaladora de poder ouvir da Bíblia da boca de quem a vive. Explicada com fundamento, sustento, iluminada pelo Espírito. 

Parece que passo muito tempo nestes encontros, especialmente no Verão. E é muito complicado explicar a satisfação que isto me traz, em gastar o tempo a tentar chegar mais perto do Deus a quem amo. Depois ouço frases destas, e aí está a explicação:

"O cristão tem uma nova natureza. É uma nova criatura. Tem um gosto exclusivo por justiça e o seu coração tem sido de tal modo alargado que nada neste mundo pode satisfazê-lo. E se alguém lhe tirar tudo, todos os seus bens, os seus queridos, ainda assim não perderá nada. Não será esmagado. O Único que o pode preencher é Deus. O Único que o pode tornar completo é Cristo. Quanto mais conhecer acerca dele, mais as suas afeições irão brotar e crescer. Mais separará tudo o resto para estar com Ele." 

-Paul Washer-

18 setembro 2013

Amanhece assim.


Alguém consegue preferir um céu limpo a isto? Eu não.

17 setembro 2013

A desobediência tem um preço.

Tal como uma criança ao volante, ao colo do pai no automóvel, assim são os governantes no poder: não há nada que façam que não seja com a permissão de Deus. A Bíblia está cheia de histórias de homens em situações de poder que desobedeceram e foram castigados.

No domingo passado, na classe dos 7 aos 12,  aprendemos com a rebeldia de Saul. E queremos que nos sirva de lição.



16 setembro 2013

Ai!


Mas alguém acredita que a minha bebé nº 2 já vai aprender a ler e a escrever?

Não fazer nenhum sem ponta de remorso.







Sem marido em casa um sábado, entramos em modo "manutenção de serviços mínimos".
Como a Raquel tratou de nos receber e cozinhar para nós, não fizemos nada o dia inteiro.
E não fazer nada pode ser tão bom!

15 setembro 2013

Girl's day

Último dia de férias. A Escola começa na segunda-feira!

13 setembro 2013

Idade certa para entrar na escola?


O minorca cá de casa, quase 3 anos e meio, completa hoje a primeira semana de escola. A contradizer todas as eventuais teorias de que tendo estado comigo em casa até então, agora é que ia ser complicado, que ia estar demasiado apegado a mim, que estava muito mimado, voilá: fica desde o primeiro dia na escola como se sempre lá tivesse ido, e pelos relatos de quem cuida dele, comportamento, hora de comer e de dormir tem estado sempre impecável. O ar dele de crescido a despedir-se de manhã é impagável. E um grande alívio para nós, sim.

E.

A 13 de Setembro de 1999 deixava de fazer sentido caminhar todos os dias em direcção ao Chiado.




12 setembro 2013

*

Tenho aprendido que gastar tempo a agradecer, é uma espécie de milagre da multiplicação: agradeço por aquela pequena coisa, e ela transforma-se numa grande coisa.

E quando olho novamente para o que parecia insignificante, foi muito.

A carteira tocou à campaínha.

Trouxe quadros bonitos do outro lado do Atlântico.

11 setembro 2013

"Tira aí uma foto."




Gifted

Tenho uma amiga que faz parte daquele grupo de pessoas que parece que não há nada de habilidoso que não saia das suas mãos. Assim uma queda para coisas e coisinhas, daquelas bonitas e cheias de significado. Tenho para mim, que quem usa os talentos que Deus lhes dá, os multiplica ainda mais.

"Só".

Ia dizer que às vezes só se resume a isto, mas será muito mais correcto dizer que basta resumir-se a isto.




10 setembro 2013

Deus responde. E a dobrar.

Desde que a minha cunhada Marta partiu há quase ano e meio que fiquei só nesta vida de mulher de Pastor. Mesmo tendo crescido na Igreja, mesmo tendo sempre servido, a verdade é que esta vida que veio ao meu encontro não foi nada daquilo que eu me imaginei alguma vez a fazer, ou ainda menos que me sentisse capacitada.

De repente, não estava apenas só neste desafio, como a única pessoa que me poderia apoiar e encorajar, já não se encontrava por aqui. Fiquei sem ter com quem falar. Curiosamente, tanto a Filipa como a Adriana, na altura em Tondela e Faial-Açores, foram amigas dos acampamentos e com quem já me escrevia há uns anos, e que imaginava que gostava de ter por perto.

Mas como nada que do que acontece é um encontro do acaso, mas um plano de Deus, 2013 trouxe-me esta prenda que não quero desperdiçar: A Filipa veio para a Graça - Lisboa, e a Adriana para Queluz.

Melhor era mesmo impossível.



A qualquer instante,

ou mais tardar final do mês, chegam mais dois sobrinhos: a Madalena, aqui na foto, e o Lucas.

09 setembro 2013

Enquanto a memória não me trair,

serei uma pessoa de datas. O 8 de Setembro não é o único dia do ano em que recordo para quem sorria neste instante, um dia de muito calor, no mar alto de Cabanas. Mas foi o dia em que nunca mais lhe pude sorrir.

Ontem, 17 anos depois dessa perda, foi um dia bonito, em que tive mais do que as saudades do meu tio Luís. Mas penso nestas outras saudades como temporárias, e tudo fica mais fácil.

06 setembro 2013

Primeiro dia de escola dos rapazes.

Hoje foi a estreia do Caleb! Correu lindamente.





05 setembro 2013

Vista.



Hoje passei por esta rua, ao regresso de umas horas em consulta com o Joaquim e Caleb. O mais velho, precisamente 2 anos depois da operação, já vê 60%, e o mais novo vê mais do que o esperado para a idade.
Há dias bons!




Caramba

que nunca mais chega a quarta temporada!




04 setembro 2013

A comida que consola?



Frio, à dentada, assim mesmo. Como é que se diz agora? Ah, "comfort food".

03 setembro 2013

Efeito Conan




.

Sempre que num inquérito escolar ou médico de algum dos meus filhos me é feita a constrangedora pergunta: "Foi planeado?", sinto sempre o ímpeto de responder:

"Claro que a gravidez foi planeada. Por Deus Nosso Senhor".

Sítios onde parece que não existiu nada.

... e voltarmos aos sítios onde não sabemos bem quem fomos? Quem éramos? Para onde íamos?
Voltamos lá e parece que aquele tempo se suspendeu, não existiu, não aconteceu.

É estranho.

02 setembro 2013

Entretantos.

Quando as férias já acabaram, temos trabalho em atraso, mas a escola ainda não começou. Este entretanto de dias que não são já descanso nem ainda rotina diária. Mais uns dias e começa um novo ano lectivo.