29 outubro 2013

Bíblia, um livro que não muda.

Este domingo, na classe dos 7 aos 12 anos, continuámos o estudo acerca da Providência de Deus. Desta vez, a forma como Deus se certifica que a Bíblia permaneça sempre a sua Palavra, sem alterações, em tantos anos de cópias.



Em 1947 uma ovelha fugiu para dentro de uma gruta junto do Mar Morto. Um rapaz pastor atirou uma pedra para dentro da gruta para assustar a ovelha e fazê-la sair da gruta. Ouviu-se um som de potes a quebrar. Após investigação ele descobriu potes contendo antigos rolos. Os rolos, feitos de pele ou papiro estavam bem preservados dentro dos potes selados, apesar de terem mais de 2000 anos.

Eram mais de 600 rolos, incluíndo duas das cópias mais antigas do livro de Isaías e partes de cada livro do Velho Testamento, com excepção do livro de Ester. Quando os manuscritos foram comparados com as cópias actuais do Velho Testamento, quase não existiam diferenças. Eles eram incrivelmente precisos, apesar de milhares de anos de cópias e recópias.

Esta é uma ilustração de como Deus trabalha no mundo para garantir a precisão da Sua Palavra. Quando um escriba (pessoa que copiava a Biblia) copiava a escritura, ele levava a sua tarefa muito a sério. Quando finalizava um livro do Velho Testamento, ele contava todas as palavras da sua cópia e do original. Então procurava a palavra do meio e a letra do meio dessa palavra para garantir que era a mesma na sua cópia e no manuscrito original. Esta foi uma forma de Deus garantir que não existiam erros na Sua Palavra.