18 abril 2014

Resgatado da culpa.



Os meus olhos não viram a cruz
Mas minhas transgressões estavam lá
Resgatado da culpa eu só posso cantar
Do perdão que essa morte me dá.

Lá na cruz, um homem que era Deus
Padeceu pelo homem vulgar
Tirou-me dos réus e abriram-se os céus
Está no sangue o convite para entrar.


O sepulcro aberto eu não vi
Mas toda a minha fé vem de lá
Então louvo tal feito e só posso cantar
Salvação que essa vida me dá.

A ascensão não foi vista por mim
Mas um dia subirei para lá
Meu futuro será um constante cantar
Novo lar, esse eterno me dá.