24 setembro 2014

Agradecer e confiar.



O ano lectivo que passou foi reflexo de uma caminhada de um par de anos de inquietações, oração e reflexão com outros pais acerca do ensino dos nossos filhos. Foi longo o processo de chegar a um projecto, de pensar e repensar nas implicações, e chegar a um consenso sobre o que pretendíamos. A escolha acabou por ser tomada e foi um passo de fé. Implicava deslocações diárias, despesas várias e, por último mas ainda mais importante, assumir perante o Estado que entrávamos num regime de ensino doméstico, sujeitando os nossos filhos a exames finais em cada final de ciclo, deixando de existir uma avaliação contínua reconhecida oficialmente.

Graças a duas famílias que consideramos também nossa família, a nossa pequena escola iniciou-se. Durante um ano, os esforços imensos que fizemos foram compensados com uma paz enorme: o difícil tinha sido feito, tomar a decisão.

O final do ano chegou e a nossa mais velha prestou 5 exames, entre eles uma oral, no agrupamento de escolas aqui da zona. Apesar de nestas provas não residir a nossa real avaliação sobre o desempenho dela, os resultados eram essenciais para um reconhecimento legal do ensino que estava a ter. As notas foram excelentes, a forma como todo este processo de avaliação se desenrolou não poderia ter sido melhor.

No sábado passado, foi tempo de agradecer. Agradecer pela forma maravilhosa com que Deus nos tem presenteado com pessoas de visão, pela forma como sentimos que Deus nos empurra a tomar decisões, e como nestes períodos difíceis de escolhas, Ele nos encoraja e nunca nos sentimos sós.

Com um coração agradecido, novo ano a começar e cheia de expectativas para tanto quanto Deus já preparou. Vamos a isto!