06 setembro 2014

Testemunhar milagres

Em final de Janeiro começámos a orar pela Celeste. O que seria uma cirurgia simples converteu-se num cenário de risco de vida. Foram largos dias num coma sem saber se sobreviveria, e caso isso se desse, como seria. Mas sobreviveu. Quando em início de Abril a vimos, através de um registo do filho, a caminhar pelo seu próprio pé - agarrada a um andarilho- de regresso a casa, foi emocionante!
Por estes dias, tivemos oportunidade de estar com a Celeste, ficarmos boquiabertos com o seu estado actual, mostrarmos aos nossos filhos - "ela nem parece ter estado doente" dizia a Marta - de como vale a pena orar e acreditar em milagres. O nosso Deus cura quando entende. E neste caso, agradecemos-lhe por testemunharmos disto.