30 dezembro 2014

Flagrantes da vida real.

Tão bonitos que são a minha irmã e o meu sobrinho, se não tivessem ficado em contraluz, não acham?

O José feliz e contente da vida ao colo das primas.
Os rapazes alegres a sorrir para mim.

"Podes-te desviar um bocadinho, por favor?"

A criança amuada no canto esquerdo. Por uma causa humanitária qualquer.

"Maria, ficas tão bonita quando sorris."

"Vá lá, Caleb!"
Júlia, muito contente por eu a fotografar.

Marta, chateada porque não podia comer os gelados que lhe apetecesse por dia.

O automático dava tempo para eu chegar à foto...

A indignação porque no casamento não há hamburguer com batatas fritas.

Ia feliz pela marginal de Cabanas até ser surpreendido, pela trigésima vez, pelo boneco na entrada do bar.
"Joaquim, deixa tirar uma foto ao mano."

Vamos tirar uma foto só às crianças. A Nice acha que ainda tem uma criança dentro dela.

"Calma, lá porque fazes anos não quer dizer que possas soprar as velas."