03 dezembro 2014

Miopias e exageros.

Se há um ano o exame oftalmológico lhe dava uma visão a 100%, agora já não se pode dizer o mesmo. Como esta miúda é uma exagerada (uma traça é um pássaro e uma picada é quase uma operação) demos-lhe algum desconto quando se começou a queixar, uma vez que tinha ido há tão pouco tempo à médica. Mas esquecia-me eu que quando comecei a usar óculos, não via ligeiramente mal. Via mesmo mal. E com a Maria foi assim. Passamos logo para uma graduação como a que a mãe tinha quando começou (sendo que o pai também é míope).

Depois de termos saído do médico, e ela vir maravilhada com o que tinha conseguido ver lá, fomos escolher os óculos. A cada armação que experimentava, fazia um ar contrariado, indeciso e olhava para mim. Mal a empregada se afasta, segreda-me: "Não vejo bem com nenhum...".

No caminho de regresso, a história do Pedro e do lobo mas acerca do exagero. Ser mais criteriosa nas ênfases a dar, para que os pais não relativizem quase tudo.

(Já disse que mudar fraldas e amamentar era tãããããããooooo mais fácil? Já, eu sei.)