20 janeiro 2015

Tiagos da minha vida.

Não me faltam Tiagos. Casei com um. O outro, que por acaso nasceu pouco depois de mim, rouba-me por estes dias a quota de lágrimas equivalentes a uns anos (que eu para chorar é preciso mais do que o Andy a despedir-se do Woody no Toy Story 3). Por isso, estou um bocadinho irritada, porque depois com este Tiago vem outra miniatura de Tiago e logo antes, ou depois, ou ao mesmo tempo a minha cunhada Marta (sister in law, é mais isso) e o já não tão pequeno Ruben e o traquina David.
Despedidas são aquela coisa chata que ninguém gosta mas que tem de acontecer.

(Digam lá que os dois primeiros não estavam todos catitas no domingo passado? Ah, pois estavam.)