04 maio 2015

Carta para a Maria, que fez 11 anos.


Querida filha Maria,

O teu dia finalmente chegou, ontem. Completaste 11 anos. São 11 anos muito cheios, foste tu a filha que nos estreou enquanto pais. Não sabíamos como era isto de ajudar um pequeno ser a tornar-se numa pessoa, e a verdade é que todos os dias ainda estamos a descobrir. Não sabemos que mulher te tornarás, mas sabemos a menina que és; reconhecemos que Deus tem sido muito generoso nos talentos que te tem dado: escreves e ilustras muito bem, és decidida no que te propões a fazer, tens muita criatividade e gostas de ler e de conversar. Tanta coisa boa, e tanto por onde usar.

Creio que concordas comigo: ontem foi um dia muito feliz, antecedido por dias igualmente felizes: andaste de avião pela primeira vez há duas semanas, foste ver a Cinderella no feriado, estivemos com família de longe e outra que nem sempre podemos ver, e passaste o dia de aniversário rodeada de tantos queridos que oram por ti. Um privilégio!

O meu desejo, enquanto tua mãe, não é que sejas apenas uma pessoa bem educada, ou eventualmente bem sucedida, envolvida em boas causas. Nada disso. O meu desejo, convertido diariamente em oração, é o de que te tornes uma mulher cristã. Uma mulher sem vergonha do Evangelho que ouves desde pequenina, uma mulher que em tudo o que faças e te proponhas fazer, não busques a aprovação ou reconhecimento dos outros, mas que sejas uma luz para a glória de Deus. Parece um alvo muito elevado? Muito abstracto? Não, Maria. Pede a Deus. Pede-lhe que transforme todos os teus desejos e os molde à Sua imagem. Que te ajude nas tuas fraquezas, e fortaleça as tuas qualidades. Imagina tu estes dias de aniversário, tão felizes que foram, multiplicados por muito! É isso que terás, se permaneceres firme nestes caminhos.

Acho que é para isto que aqui estamos, com as nossas imperfeições: ajudar-te a ganhar gosto nesta alegria em servir ao Senhor nosso Deus! Parabéns, Maria!