19 maio 2015

Era uma vez um quarto

Primeiro, foi o quarto de uma menina pequenina e de uma bebé.

Em poucos meses, transformou-se num quarto de uma menina pequenina, uma bebé e um bebé.
 

E depois, de duas meninas pequeninas e um ainda bebé. Foi um quarto de três durante dois anos.
Mas entretanto nasceu outro bebé rapaz, e assim se justificou dividir a miudagem, e o quarto voltou a ser de duas meninas.
Agora, 11 anos de uma e 8 anos e meia de outra, era altura de dizer adeus às caminhas dos sete anões que tanto foram usadas. A vantagem de esperar por camas maiores, além de estas serem mais mimosas quando eles são pequeninos, e economizarem espaço, é que chegamos a uma idade em que são eles que podem escolher onde querem dormir, até um dia não morarem mais aqui (eu escrevi mesmo isto? Ai.)

E assim foi: