19 novembro 2015

Planos preferidos


As famílias maiores facilmente se identificarão com isto: há poucos planos em família que reunam consensualidade total. Aqui não é diferente. Mas há um que é sempre garantido e que todos se entusiasmam, que pode ser realizado horas a fio e com muita regularidade. É rara a semana em que os nossos miúdos não passem umas horas na biblioteca de Oeiras.

É vê-los chegar, cada um se encaminhar para a sua área de interesse e instalar-se o silêncio.Há uns dias não foi diferente, sendo que estávamos noutra biblioteca, onde passei muitas horas na minha juventude, mas que no nosso passeio deu para perceber que já não era exactamente no mesmo local. Lá andámos nós por Algés.

Os miúdos chegam, investigam, sussurram e nunca se permitem levantar o tom de voz. Como sempre acontece na biblioteca, algo de maravilhoso se dá: não discutem, não chamam por nós, ficam na deles. Podem imaginar o paraíso que isto representa para uma mãe de vários? Pois bem. Eu até li um pedaço de um livro. Mas depois o único som que ouvia era o das páginas serem viradas, a respiração deles, e um dos poufs enormes no chão pareceu-me demasiado confortável para não me instalar. Este ambiente de paz como que gerou música de embalar, e dormi uma sesta. Daquelas sem interrupções, impensáveis durante o dia. Ah, gosto tanto de ir à biblioteca!