30 dezembro 2015

Fazer com amor.


Tenho, entre estes, os meus preferidos. Mas aqui o conceito não foi a perfeição (senão nem me atrevia a começar isto) nem o conceito do meu próprio gosto. Cada um foi feito a pensar nas preferências de quem recebia. Deu algum trabalho, mas valeu a pena.

(faltam aqui algumas canecas que me esqueci de fotografar)


 - As letras perfeitinhas do canto superior direito são da minha filha Maria. -

29 dezembro 2015

Ilusões.


Geralmente por estes dias tenho sentimentos contraditórios. As férias escolares parecem-me sempre demasiado curtas e anseio que os dias estiquem. Por outro lado, quem trabalha em casa sabe da pressão implícita que há quando temos trabalho à espera. Avisamos que estamos a meio gás, mas sabemos que Janeiro está mesmo ali ao virar da esquina, implacável a exigir-nos que arranquemos logo em quinta, quando ainda nos sentimos em ponto morto. Na verdade, acabámos agora mesmo de parar, depois de tanto que se fez antes e durante o natal.

Tenho, também, sentimentos ambíguos com os frutos secos e a árvore. A árvore já não tem bebés que a desmanchem, nem gatos a atacá-la (a velhice é muito visível na nossa pequena felina). Mas tem ramos tortos que já não me dou ao trabalho de endireitar (secretamente conto os dias que faltam para ter de a enrolar novamente em película).

Mas também é nesta desarmonia final que ela fica mais rica, com os postais que nos chegaram entretanto, nas fotos dos nossos queridos. Tranquilamente aceito esta imperfeição, que as fotos não demonstram, pois claro.

De qualquer das formas ninguém acredita que a vida é como no Pinterest, pois não?





28 dezembro 2015

I love Lapa.

São muitas e antigas as razões para gostar deste pedaço de Lisboa. Agarrar-me ao argumento de ter uma vista privilegiada sobre o Tejo seria o mais fácil, mas não. A Lapa tem um encanto muito além do rio. Ou então sou eu que tenho uma queda para sítios que me remetem para um tempo antes deste.













27 dezembro 2015

Escola Bíblica de férias de Natal

30 crianças + 12 adultos = 5ª edição da Escola bíblica de férias. Check!











24 dezembro 2015

Graça!

"Porque é pela graça que estão salvos, mediante a fé. 
E isto não é mérito vosso, é dom de Deus." 
Efésios 2:8 


O Natal é apenas e só acerca de graça. O bebé a dormir debaixo das estrelas que ele próprio tinha criado vinha cumprir a lei que mais ninguém tinha conseguido cumprir e acabar de vez com a nossa condenação à morte. Nada podemos fazer senão rendermo-nos a esta chamada à fé. O Natal é acerca do presente que veio transformar tudo, de uma vez só. Este presente que veio para nos resgatar não custou barato, mas caro. A própria vida do filho de Deus lá na cruz foi precisa para que acabassem as dores, as tristezas, o ódio, as lágrimas, e até a própria morte. O maior presente que podíamos receber chegou há 2000 anos.

Vamos estar disponíveis para o receber e celebrar, ou vamos estar distraídos com o bacalhau, perú e frutos secos?



- Dia de Natal, 25 de Dezembro, pelas 11h da manhã 
temos culto de celebração. 
Rua do Pau de Bandeira, 22 - 1200 Lisboa 
Todos, todos convidados! -


18 dezembro 2015

Consoada

Sabotage, 17. Dez. 2015

17 dezembro 2015

A necessidade de um salvador, a começar pela família de Jesus.


A genealogia de Jesus inclui coisas escandalosas como adultério, homicídio, incesto e prostituição.

Começando, por exemplo, por Tamar, a rapariga que dormiu com o sogro. Com ela vemos que até as melhores famílias são, ainda assim, famílias pecadoras que necessitam de um Salvador.

Também inclui Rute - filha de um incesto - provando que nunca é tarde demais: podemos ter um novo começo e uma nova família, com Jesus.

Também inclui Raabe, uma prostituta também conhecida por ser uma boa mentirosa. Uma mulher que confiou, teve fé e foi transformada.

E David, o famoso rei e compositor David! Cometeu adultério e ainda mandou matar o marido da amante. Com David vemos que um coração cheio de amor não é sinónimo de não cometer grandes erros.

Terminando em Maria, a jovem grávida sem marido. Maria demonstra-nos que a obediência a Deus é mais importante que a aceitação social.

Estudando a genealogia de Jesus, comprovamos  que todos, mas todos precisamos de um salvador e que não há pecado que Deus não possa perdoar. Com o arrependimento, qualquer um é bem-vindo na família de Deus.

[ E isto faz-me lembrar de como a adopção é - ou deve ser - algo muito caro na vida de um cristão. Mas isso fica para outra altura. ]

!



15 dezembro 2015

Esperar pacientemente


Adiamos constantemente planos ou ideias por falta de tempo. Os mais cépticos dizem que é tudo uma questão de organização. Mas de facto o tempo não se inventa, e todos os dias dou comigo a pensar em como voaram mais 24 horas.

Pensando no Advento, e numa época de espera, cada vez mais me parece incompatível uma espera em paz no meio de correrias, de filas de lojas, de caos. Em dias que para comprarmos o pacote de farinha que nos está a faltar, é preciso gastar mais do que o habitual na caixa do supermercado, talvez seja bom pensar no que vale realmente a pena fazer e em como abrandar.

Passear de noite com muita gente e luzes na rua pode ser uma confusão bonita e alegre, já os encontrões à saída da loja só me recordam como nos perdemos há tantos anos, nas nossas ideias. Importa pensar quem visitamos na noite da consoada. Não vá lembrarmo-nos de bater à porta da hospedaria, ignorando o estábulo.

14 dezembro 2015

Correspondência.


Sim, nunca perdi este hábito e teimo em mantê-lo. Envio postais no natal (e escrevo cartas durante o ano). A funcionária dos correios já me conhece, e sabe que nem todas vão para território nacional. Também sabe que muitas vezes o conteúdo dos meus envelopes são apenas livros, e por isso me relembra para o identificar (enviar só livros tem uma taxa bonificada, não sei se sabem).

A dificuldade em manter esta tradição de poder enviar a todos quantos gostaríamos é sabermos a respectiva morada. Valem-nos aqueles que também ainda teimam em nos escrever ou os que não mudaram de casa ao longo dos anos. E aí vão elas!

11 dezembro 2015

11 anos e meio. Cá e lá.

Chegámos aquela fase em que quer dar muitos dos brinquedos (mas dar com critério, que as crianças do orfanato do Toy Story 3 ainda estão vivas na memória). Quando faz listas do que gostaria de ter, geralmente incluem cds, roupa e livros. Por isso, quando no outro dia no hipermercado, me pediu para passar pela secção de brinquedos e lhe disse:

"Pensei que já não te interessavas por brinquedos..."

A resposta saiu pronta e clara:

"Mas de vez em quando gosto de me lembrar de quando era criança."

10 dezembro 2015

"Tu não precisas de Deus"

Esta foi a mentira da serpente. Nascemos com esta mentira cá dentro. Todos os dias nos sussurra:



"Consigo ser feliz sozinho";
"Sou capaz de me safar";
"Eu mereço mais".

As mentiras multiplicam-se constantemente. Vivemos angustiados. Frustrados. Culpados. Incompletos. Fomos criados à imagem de Deus. Para o adorar. Nunca viveremos totalmente satisfeitos enquanto não nos reencontramos com ele. Nunca estaremos completos sem estar na presença dele.

É a isto que nos chama o Advento. Por nós próprios nunca conseguiríamos chegar a Deus.
Foi necessário que viesse ele até nós.

Vamos continuar a passar por esta história sem nos rendermos?




07 dezembro 2015

!

Parece que este Novembro que passou foi o mais quente dos últimos 34 anos. Estamos praticamente no Natal e o frio mal se sentiu, os dias têm estado bonitos e a convidar passeios. Quando o Inverno chegar, não temos mesmo de que nos queixar. O Outono tem sido qualquer coisa de extraordinário.



05 dezembro 2015

01 dezembro 2015

Advento

A história pode ser contada de muitas formas, mas é apenas uma. Sem começar pelo princípio não chegamos ao desfecho mais bonito de todos: o da redenção da humanidade. Quem crê em Jesus, crê que foi comprado por um preço muito alto, o do seu sangue. Torna-se uma pessoa completamente livre.

Esta história explica, também, acerca da justificação. Essa palavra tão estranha quanto maravilhosa. Graças a ela, um pecador deixa de ser visto como tal e entra na presença de Deus, perfeito e imaculado.

Fala também de propiciação. Tão difícil e emocionante de compreender. Alguém tomou o nosso lugar. Alguém foi sacrificado por nós. Alguém venceu a morte por nós!

O Natal é acerca do início desta história terrivelmente bonita e sem a qual a vida não faz qualquer sentido. Vamos começar?

Andamento