15 dezembro 2015

Esperar pacientemente


Adiamos constantemente planos ou ideias por falta de tempo. Os mais cépticos dizem que é tudo uma questão de organização. Mas de facto o tempo não se inventa, e todos os dias dou comigo a pensar em como voaram mais 24 horas.

Pensando no Advento, e numa época de espera, cada vez mais me parece incompatível uma espera em paz no meio de correrias, de filas de lojas, de caos. Em dias que para comprarmos o pacote de farinha que nos está a faltar, é preciso gastar mais do que o habitual na caixa do supermercado, talvez seja bom pensar no que vale realmente a pena fazer e em como abrandar.

Passear de noite com muita gente e luzes na rua pode ser uma confusão bonita e alegre, já os encontrões à saída da loja só me recordam como nos perdemos há tantos anos, nas nossas ideias. Importa pensar quem visitamos na noite da consoada. Não vá lembrarmo-nos de bater à porta da hospedaria, ignorando o estábulo.