14 dezembro 2015

Correspondência.


Sim, nunca perdi este hábito e teimo em mantê-lo. Envio postais no natal (e escrevo cartas durante o ano). A funcionária dos correios já me conhece, e sabe que nem todas vão para território nacional. Também sabe que muitas vezes o conteúdo dos meus envelopes são apenas livros, e por isso me relembra para o identificar (enviar só livros tem uma taxa bonificada, não sei se sabem).

A dificuldade em manter esta tradição de poder enviar a todos quantos gostaríamos é sabermos a respectiva morada. Valem-nos aqueles que também ainda teimam em nos escrever ou os que não mudaram de casa ao longo dos anos. E aí vão elas!