18 fevereiro 2017

E se?



Pedimos-te bênçãos.
Pedimos-te paz,
Conforto para a família,
Protecção durante o sono.
Pedimos-te cura,
E prosperidade.
Pedimos o alívio
Da tua mão poderosa.

E tu ouves sempre
Cada pedido,
Mas o teu amor é tão vasto,
Não cabe em coisas tão pequenas.

E se as tuas bênçãos
Chegarem com a chuva?
E se a tua cura
Chegar com lágrimas?
E se forem precisas
Mil noites em branco
Para sentirmos a tua presença?
E se os obstáculos da vida
Forem misericórdias disfarçadas?

Pedimos-te sabedoria
O som da tua voz
E choramos, irados, 
Se não te sentimos perto.
Duvidamos da tua bondade
E do teu amor
Como se não bastasse
A promessa da tua palavra.

E tu ouves sempre
Cada súplica desesperada
E esperas que tenhamos
A fé de acreditar.

E se as tuas bênçãos
Chegarem com a chuva?
E se a tua cura
Chegar com lágrimas?
E se forem precisas
Mil noites em branco
Para sentirmos a tua presença?
E se os obstáculos da vida
Forem misericórdias disfarçadas?


Quando os amigos nos traem
E as trevas parecem vencer 
Sabemos que a dor 
Relembra ao coração
Que este não é o nosso lar.

E se as tuas bênçãos
Chegarem com a chuva?
E se a tua cura
Chegar com lágrimas?
E se forem precisas
Mil noites em branco
Para sentirmos a tua presença?
E se os obstáculos da vida
Forem misericórdias disfarçadas?


E se as maiores desilusões,
E os sofrimentos desta vida 
Revelarem uma sede maior
Que este mundo não sacia?
E se as provações desta vida 
A chuva, as tempestades, as noites mais duras 
Forem misericórdias disfarçadas?