11 dezembro 2017

Advento, dia 11.

Moisés e o povo saíram do Egipto e caminharam em direcção ao deserto. Não sabiam que caminho tomar, mas Deus sabia qual o caminho e iria mostrar-lhes.
“Vou levar-vos para uma nova casa, uma terra muito especial”- Deus prometeu. “Cuidarei de vocês. Estarei sempre convosco.”

Deus enviou uma coluna enorme que servia de guia, uma coluna enorme de fumo. A coluna de nuvem movia-se na frente deles e servia também de sombra para o calor que se fazia sentir durante o dia. E quando era tempo de descansar, a coluna parava. Nas noites frias de deserto, a coluna mantinha-os quentes, brilhando como fogo. Deus conduziu o povo até junto de um grande mar.

Enquanto pensavam como iriam atravessar o mar, ouviram um enorme barulho ao longe, como um bater trovejante, pareciam cavalos a correr. Olharam melhor e gritaram! Eram mesmo cavalos a correr! O Faraó e o seu exército tinham vindo para os buscar! O Faraó tinha novamente mudado de opinião. “Vão buscar os meus escravos!”. E assim, 600 homens montados em cavalos, desataram a correr.

O que iria o povo de Deus agora fazer? Na frente deles estava um enorme mar. Não tinham por onde fugir. Era demasiado profundo e longo para o atravessarem a nadar. Não tinham barcos. E não podiam voltar para trás, porque era de onde vinha o Faraó e os seus soldados.
“Vamos morrer!” gritaram em pânico.
“Não tenham medo!” disse Moisés. “Não há nada que possamos fazer!Deus sabe que vocês não conseguem fazer nada. Mas ele fará por nós. Confiem e observem!”

E então, uma coisa muito estranha aconteceu. Deus fez com que a nuvem se movesse para trás do povo, escondendo-os dos egípcios. De seguida, Deus enviou um vento enorme que soprou pelo mar a noite toda. O vento abriu caminho no mar, e o povo de Deus caminhou em terra seca. Quando os egípcios tentaram ir atrás deles, as paredes de água voltaram ao seu lugar, e engoliram-nos.

O povo estava a salvo! Dançaram, riram, cantaram em agradecimento a Deus. Quando parecia não haver um caminho, Deus inventou um caminho.

Muitos anos mais tarde, uma vez mais, Deus iria inventar um caminho onde não havia caminho nenhum. Desde o começo, as pessoas fugiam e escondiam-se de Deus. Mas Deus sabia que as pessoas não podiam ser felizes sem ele. Mas também sabia que não conseguiriam ir ter com ele por elas próprias. Estavam perdidas, sem saber o caminho de regresso. Só Deus sabia o caminho. E um dia, ele iria mostrar-lhes.