07 fevereiro 2012

Quase 30 anos depois, a mesma letra.

Devia ter a idade da Maria quando comecei a escrever e a fazer desenhos para enviar com as cartas da minha mãe para a irmã, a tia São, nos Estados Unidos. Toda a infância o fiz, e não sei descrever a alegria que eu tinha quando recebia um envelope com esta mesma letra, sempre com autocolantes coloridos, e postais bonitos.

Por altura do Natal, enviámos umas lembranças pelo correio, para a tia São e tio Mike. A Maria personalizou um dos desenhos, e teve direito a uma carta personalizada na caixa do correio. A alegria e o espanto dela, ao abri-la!